quarta-feira, 27 de novembro de 2013

A ATITUDE DE QUEM RECEBE DETERMINA A RECOMPENSA.


.


Mateus
10.40   Quem vos recebe a mim me recebe; e quem me recebe, recebe aquele que me enviou.


10.41   Quem recebe um profeta, no caráter de profeta, receberá o galardão de profeta; quem recebe um justo, no caráter de justo, receberá o galardão de justo.


10.42   E quem der a beber, ainda que seja um copo de água fria, a um destes pequeninos, por ser este meu discípulo, em verdade vos digo que de modo algum perderá o seu galardão.

A honra é dada por aquele que recebe, não pelo que doa. Posso estar diante do ser mais aclamado em todo o mundo, mas se em meu interior eu tiver reservas e não considerá-lo digno de ser ouvido, perderei o seu “galardão”. Qual é o galardão do profeta? A profecia, se não ouço com bons ouvidos, a mais linda e poderosa mensagem, para mim não significará nada... embora outros possam ficar maravilhados com a mesma...

O mesmo acontece com o justo e o pequenino, quem os recebe, recebe do Cristo que neles está, e este é o galardão a que tem direito.

Existe um mau hábito mortífero no meio das comunidades, refiro-me àquele acréscimo que fazemos a um comentário positivo, aquela pequenina palavra de três letras, “mas”... vou exemplificar; quando comentamos acerca de algo ou alguém e falamos maravilhas a seu respeito e acrescentamos estas palavra “mas”, anulamos tudo o que foi dito anteriormente e assim fechamos nossos ouvidos e o daqueles que nos ouvem e ficamos impossibilitados de receber o galardão que nos foi enviado por meio daquele de quem estamos falando...

Mais explicitamente: a palavra de fulano foi uma bênção, mas..., cicrano é um homem de Deus, mas..., o livro que eu li é fantástico, mas... ou seja em inúmeras situações fazemos isto e ao fazê-lo derrubamos tudo de bom que disséramos anteriormente. O pior de tudo é quando desfrutamos de algum conceito mais elevado entre as pessoas esta palavra tem um poder maior, e assim impedimos outros de receberem o galardão a que teriam direito!

O mais grave é que normalmente este “mas” vem acompanhado com um ar de preocupação com a pureza doutrinária, ou ainda com um cuidado pela vida daqueles a quem estamos falando, certa piedade religiosa, e na maioria das vezes é mera proteção de nosso ego e de nossas opiniões. Já me vi utilizando isto para me projetar e diminuir o outro, de forma mais sutil.

O apóstolo Paulo nos anima a ouvir todas as coisas e a reter o que é bom , a conferir o que é dito com as escrituras, como os de Beréia, mas jamais somos aconselhados a termos um espírito crítico antes mesmo de ouvir e ver o que outros tem a oferecer.

A atitude crítica fecha nossos olhos e ouvidos a tudo que é diferente de nós mesmos, impede-nos de sermos agraciados com o galardão de outros, estejam eles acima, ao lado ou abaixo de nós... quem sai perdendo é quem deixa de receber. O doador não é em nada diminuído por nossa atitude,  ele continua sendo profeta, justo ou pequenino independente do que pensemos ou façamos.


Por outro lado, estando nós em Cristo, se alguém deixa de nos receber, isto não nos diminui em nada, não precisa nos ofender. Aquele que nos recebe, recebe a Cristo, e quem recebe a Cristo, recebe aquele que o enviou, e pasmem; tudo isto acontece ao nos receberem!!!

Um comentário:

  1. Quando usamos a palavra "mas" depois de qualquer elogio , limitamos o objeto elogiado ou a pessoa ao nosso julgamento às vezes racista , religioso ou preconceituoso , nos escondendo atrás de um suposto bom caráter . Quando elogio e ofereço honra , preciso dizer o quanto isto me edificou e não o que está por trás do que eu supostamente acho ou deixo de achar , o achismo é algo que atrapalha e muito a nossa vida Cristã . A graça de Cristo é algo que me faz olhar aos outros como Ele mesmo olha , quando estamos em Cristo a ninguém devemos conhecer segundo a carne .2 Coríntios 5:16

    ResponderExcluir