terça-feira, 22 de abril de 2014

A certeza tem feito os homens loucos ou tolos...


A certeza tem feito os homens loucos ou tolos. Ela destrói os seus corações e eles passam a agir como feras.
Esta frase está logo no início do filme “a conspiração dos lobos” , a frase por si só me despertou a imaginação e o desenrolar do filme explicou o que o autor queria dizer.
Deixando de lado o filme, podemos observar no nosso dia a dia a exatidão desta frase, basta nos lembrarmos das infindáveis discussões dos “sábios” que tem certeza de todas as suas afirmações, normalmente se postam no alto de sua arrogância e desdenham de todos os demais, do  alto se suas certezas ditadores tem oprimido multidões mundo afora, líderes religiosos tem manipulado e destruído incontáveis vidas, cientistas fazem afirmações polêmicas e inovadoras que se tornam absolutas, até que outro venha e o desminta, patriarcas e matriarcas oprimem sua descendência querendo impor suas vontades às gerações futuras,  determinado seus relacionamentos, carreiras, vocações,  afinal quem melhor do que eles para determinar o futuro de seus descendentes???  
A certeza parece trazer consigo uma necessidade impositiva de dominar, sujeitar, oprimir. Afinal num mundo de tantas incertezas, quem tem alguma certeza deve ter seus privilégios.
Em nome da certeza se mata e se morre, travam-se batalhas, constroem-se barreiras e muros sem fim, pois se estou certo, alguém estará errado e tentará me demover de minha certeza. Preciso proteger a minha certeza e nada melhor que uma cerca e uma política intensiva de exclusão e de convencimento, ainda que pela força para manter a minha certeza. Afim de defender suas certezas os homens passam a agir como feras, mostram-se impiedosos, o que de pior existe em seu interior é demonstrado quando se sentem questionados, ameaçados.
A certeza tem adeptos e desafetos, e faz o seu marketing para conquistar novos simpatizantes, cuidado com suas ciladas.
A certeza inibe a busca, impede a curiosidade, destrói a criatividade, sufoca a alma, paralisa o crescimento, gera seguidores cegos, sem crítica, sem vida, deixa a vida apenas em tons sombrios descartando as cores vivas das novas descobertas... destrói assim o coração dos que a detem.
Uma afirmação que me veio à lembrança é de Paulo, o apóstolo, em sua carta aos coríntios: “o saber ensoberbece, o amor edifica. Se alguém julga saber alguma coisa, com efeito, ainda não aprendeu como convém saber”... ICo 8: 3,4. Quão diferente da arrogância dos que “sabem”, é a humildade dos que amam, os resultados de sua ações são diametralmente opostos, e não poderia ser diferente. O amor edifica, constrói, acrescenta, aperfeiçoa, embeleza, deixa as situações mais leves, exala o bom perfume de Cristo. Aliás foram os homens que tinham muitas certezas e respostas para tudo que o crucificaram...
Nossa própria vida neste mundo é absolutamente imprevisível, quem pode afirmar com certeza que estará aqui daqui a alguns instantes... nosso planeta move-se pelo espaço em uma velocidade enorme, a crosta terrestre poderia ser comparada  casca de um ovo,  cheia de trincas  e o interior da terra é composto de elementos em altíssima temperatura... certeza???  de quê???
Despertemos de nossa ilusão, a única certeza absoluta que temos nesta vida é que ela um dia acabará, de que nos adianta tantas confusões e pressões para fazer prevalecer  nossas “certezas”??? 
Fomos chamados a uma vida de fé, de aventura e incertezas, a única certeza nesta vida de fé é de que aquele que nos chamou é fiel e cumprirá todo seu propósito em nossas vidas, até o dia de Cristo, nisto podemos estar absolutamente certos e descansarmos em Seu amor e cuidado.

Nenhum comentário:

Postar um comentário