quinta-feira, 18 de dezembro de 2014

Arrependimento




Arrependimento

Mudança de atitude, de mente, de entendimento. Metanoia.

Mudar em relação ao que? Ao entendimento de que o posso viver a vida como entendo, e não como Deus quer. O arrependimento diz respeito a uma vida independente de Deus, e é isto que causa todas as demais coisas erradas em nossa vida.

De nada adianta esmurrar o próprio corpo em busca de transformações na vida sem havermos desitido de nossa independência, ideias brilhantes, valores, legados de gerações anteriores, etc... não encontraremos nem força, nem razão para as inúmeras mudanças requeridas pelo Reino de Deus.

Uma ideia perigosa de nossos dias e muito em voga é a de que podemos estar no reino de Deus e continuarmos com o nosso velho padrão de pensamento. Não , não é possível seguir o Rei e continuarmos pensando da mesma forma como antes de conhecê-lo. Isto é tentar servir a dois senhores, aí está uma razão para tantas dificuldades que encontramos em mudar hábitos arraigados, padrões de pensamento, condutas e etc... a famosa e triste frase “não alcancei isto ainda” deveria ser dita assim: ainda não desisti de minha independência a ponto de conseguir obedecer a este mandamento, falta-me arrependimento.

Quando Jesus iniciou sua pregação , ele dizia “arrependei-vos, pois é chegado o reino de Deus”, o reino de Deus está próximo, o reino de Deus está em vós e estará entre vós... para aquelas pessoas o reino era representado pelos escribas e sacerdotes, o clero dominante que determinava o que agradava a Deus e o que não o agradava. Somente os sacerdotes tinham acesso a Deus e em ocasiões específicas, isto era para pouquíssimos.

Jesus vem dizendo eu sou o rei, a vida eterna é que conheçam ao Pai e aquele a quem ele enviou, meu jugo é suave e meu fardo é leve, em outras palavras, andem comigo e acertem o alvo. O reino será vivido pela presença de meu espírito em vocês. É algo totalmente revolucionário e determina o fim de uma maneira de pensar e estabelece os fundamentos do reino, o que vocês aprenderam até aqui não serve, ouçam o que vos digo, arrependam-se (mudem seu pensamento) e viverão.

O arrependimento de nossa independência de Deus é a maneira de entrar pela porta do reino, sem ele é impossível compreender e viver o reino, o reino se torna inacessível, inviável.
Arrepender-se é necessário, porque é possível, é viável, uma vez conhecida a boa nova, ela gera fé em nosso coração e nos leva ao arrependimento, nos habilitando a viver uma nova vida, tudo se faz novo. Nada disto pode acontecer sem uma nova maneira de pensar.

Após esta mudança de mente, os valores mudam, e tornamo-nos aptos a ver a necessidade de transformação em nossa conduta, não é mais o que nos dizem e o que pensamos que determinam nossa vida, mas o que Deus pensa, isto é o que importa. O que o Pai diz acerca de minha maneira de ser? A forma como gasto meu tempo, o dinheiro? As roupas que uso? As liberdades que tenho? Meu relacionamento com familiares e todos os outros? Como me porto diante de autoridades, nos negócios, no laser? De minha forma de reagir às circunstâncias boas  e ruins que me acontecem? Etc, etc...

Na verdade se não abandonarmos a nossa independência original, viveremos numa contínua luta em nosso íntimo, tendo de fazer infinitas decisões difíceis a cada dia, decisões que não seriam necessárias se já tivéssemos nos entregado por completo ao Rei.

Mas quem vai definir o que fazemos ou deixamos de fazer? As autoridades eclesiásticas? Os dogmas da tradição de nossa congregação? A consciência alheia? Eu mesmo? Não, quem definirá todas estas coisas, é o próprio espírito de Deus que foi outorgado àqueles que já se renderam a ele, ele fará isto de muitas maneiras diferentes, sempre em sintonia com a palavra de Deus.

Observe que o arrependimento não é algo que ocorre de fora para dentro, mas de dentro para fora, há um primeiro estímulo externo que é a chegada da boa nova à nós, gerando fé e a fé me faz ver a necessidade de arrependimento (mudança).
Uma vez entendido isto, a compreensão dos demais requerimentos do reino será muito mais simples, e sua aplicação não demandará grandes doses de confronto e convencimento.

“Aquele a quem a palavra eterna fala, fica livre de suas muitas opiniões”. (Thomas à Kempis)
Observando de perto argumentos que frequentemente ouvimos, podemos perceber que a essência do problema é: quem manda aqui? Eu ou Deus?

Arrepender-se então é a forma de entrar em harmonia com Deus, jamais podemos nos esquecer que é a bondade de Deus que nos conduz ao arrependimento, e que é Deus quem efetua em nós o querer e o realizar segundo a sua vontade. Senão começaremos a nos vangloriar de nossa capacidade de arrependimento, ou tentaremos impor a outros o arrependimento. O arrependimento de fato só será possível pela chegada da palavra de Deus à nós e ao convencimento pelo Espírito Santo do pecado, da justiça e do juízo.

Uma vida digna de arrependimento só será vivida à partir da habitação de Cristo em nós, e não por nossos esforços pessoais, mas pela ação dele em nosso interior.

Pense nisto:” você é o que você pensa, não o que você pensa que é”. Esta é a razão pela qual, se não mudarmos a nossa maneira de pensar (arrependimento), jamais poderemos experimentar a boa, agradável e perfeita vontade de Deus (Rm12;2).

2 comentários:

FORÇA X CÃS

Força x cãs   Muitas vezes ouvi de meu pai a seguinte frase; ah... se eu tivesse hoje a sua idade, com a...