segunda-feira, 16 de novembro de 2015

A Disciplina da confissão.









A Disciplina da confissão.

Tg 5;16 Confessai as vossas culpas uns aos outros, e orai uns pelos outros, para que sareis. A oração feita por um justo pode muito em seus efeitos.
I Jo 1;9 Se confessarmos os nossos pecados, ele é fiel e justo para nos perdoar os pecados, e nos purificar de toda a injustiça.
Pv 28;13 O que encobre as suas transgressões nunca prosperará, mas o que as confessa e deixa, alcançará misericórdia.
Jo 8;32 E conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará.
Sl 32 1-5 Bem-aventurado aquele cuja transgressão é perdoada, e cujo pecado é coberto.
Bem-aventurado o homem a quem o Senhor não imputa maldade, e em cujo espírito não há engano.
Quando eu guardei silêncio, envelheceram os meus ossos pelo meu bramido em todo o dia.
Porque de dia e de noite a tua mão pesava sobre mim; o meu humor se tornou em sequidão de estio. (Selá.)
Confessei-te o meu pecado, e a minha maldade não encobri. Dizia eu: Confessarei ao Senhor as minhas transgressões; e tu perdoaste a maldade do meu pecado. (Selá.)

O que é confissão?

-É concordar com Deus , assumir a responsabilidade, a culpa, expressar livremente o seu erro, trazer à luz o que está escondido, humilhação.
-A confissão é algo voluntário, totalmente diferente de ser pego em pecado e depois assumir.
-A confissão genuína traz liberdade, consciência tranquila, pode causar danos, dependendo de sua gravidade, quem confessa de fato, não busca se justificar.
-A confissão é um ato de lealdade, transparência.
Impedimentos à confissão;
-Medo das consequências (deveria pensar nas consequências antes de pecar...) costumam ser mais difíceis com a demora, a demora em confessar gera desconfiança, demonstra infidelidade e acrescenta ao pecado original o pecado da deslealdade.
-Medo de perder alguém querido, (às vezes perde mesmo...) se alguém nos abandona após ouvir uma confissão, é sinal de que se relacionava com uma imagem nossa e não com quem de fato somos.
-Medo da reação das pessoas, de possíveis disciplinas, da inconfidência do ouvinte espalhando a confissão.
-Orgulho, como vai ficar a minha imagem? O que dirão de mim? Vou perder minha posição, influência, destaque, etc... Alguém como eu jamais poderia fazer isto! Meu discípulo vai se desviar... tentamos negar a nossa condição de fraqueza e dependência.

A quem confessar?
1- A Deus, o Pai, todo pecado em primeiro lugar e contra Ele. I Jo 1;9
2- À pessoa ofendida. MT 5 23-26 (se ao trazeres ao altar...)
3- A pessoas maduras que possam ajudar-nos a confessar ao ofendido. Tg 5;16.
4- Diante do grupo se o pecado atinge a todos.

O que se requer na confissão?

1- Um auto exame da consciência, na verdade um exame de nossa consciência pelo Espírito Santo. Para quieto diante de Deus, pedir-lhe que revele o nosso coração. Sl 139;23. Se necessário, anotar para não esquecer.
Ser específico, confissão não pode ser por atacado.
Cuidado para não cair em introspecção doentia e auto condenação.

2- Tristeza pelo pecado cometido, não adianta fazer um teatro, parecer constrangido, o que se requer de fato é um coração contrito, entristecido por haver cometido a falta, importando-se verdadeiramente com o dano causado, antes preocupado com o dano causado que consigo mesmo, triste por ter errado. Dura coisa é ouvir um relato de pecado no lugar de uma confissão, a confissão verdadeira deveria nos causar um profundo impacto e então restaurar a verdadeira alegria da salvação.

3- Determinação em evitar o pecado, andar por modo digno de arrependimento.
Fazer um voto de santidade ao Senhor, pelo menos querer.
Não devemos temer a nada e a ninguém senão o pecado e nada desejar, senão Deus. (João Wesley).
Mudança de atitude, arrependimento.

O que se deve confessar?

-Tudo que o Espírito Santo nos revelar, todas as atitudes erradas que tivemos contra Deus, ou contra as pessoas.
Porque confessar?
-É um mandamento.
-Cura, liberta.
-Restabelece o curso de Deus em nossa vida.
-Dá-nos o poder de vencer o pecado que não venceríamos sozinhos.
-É pela boca que o pecado sai da vida da pessoa.

Quando confessar?

-Tão logo tenhamos convicção do pecado.
-Sempre que pecarmos.
-O tempo costuma ser um grande complicador nestas questões e não ajuda em nada por si só. Só é justificável esperar por um pouco de tempo em caso de grande risco.

Como ouvir uma confissão?

-Como Jesus a ouviria.
-Colocando a cruz de Cristo entre ouvinte e confessor.
-Com compaixão, empatia.
-Sem parcialidade.
-Compreendendo, sabendo que estamos expostos aos mesmos pecados, também carecemos da graça.
-Com interesse pelo pecador, e não pelos detalhes do pecado.
-Com fidelidade, não abrir confissões sem autorização do confessor, nem mencionar a situação, nem mesmo com cônjuges, ou pastores etc... se você não é capaz de guardar a confissão consigo, não deve ouví-la.
-Orando em Espírito.
-Respeitando o sentimento e a dificuldade da pessoa naquele momento.
-Não reter a carga emocional, transferi-la a Jesus.
-Orando pelo confessor após a confissão, sem se precipitar, buscando discernimento de Deus sobre a real ferida.

A confissão põe fim ao fingimento, liberta-nos para um relacionamento aberto, sem máscaras, estabelece confiança e transparência, revela quem realmente somos, pondo fim à toda hipocrisia.



Nenhum comentário:

Postar um comentário