terça-feira, 12 de janeiro de 2016

SER PAI, UM BREVE TESTEMUNHO.




SER PAI, um breve testemunho.


Meu nome é Dag Henrique Gabler, feito filho de Deus por meio de Cristo Jesus, marido de uma esposa virtuosa há 26 anos, pai de três filhos abençoados dos quais muito me orgulho, empresário, presbítero da igreja... totalmente consciente de que tudo o que alcançamos até aqui é fruto da graça de nosso Pai Celeste que em sua bondade nos tem conduzido ao arrependimento e à obediência.

Certa feita em conversa com um irmão em Cristo bem mais maduro que eu, questionava pela razão objetiva para se casar, uma vez que Paulo dizia que ficar solteiro era honroso e que evitaria sofrimentos... a resposta do irmão foi surpreendente para mim. Ele me disse o casamento é o único relacionamento legítimo onde você poderá experimentar algo que só experimentará aqui na terra, não poderá fazer isto na nova Jerusalém. Fiquei curioso por saber do que se tratava e como todo solteiro naquela idade pensei no relacionamento sexual, mas o irmão emendou, só no casamento você terá o privilégio de experimentar o principal atributo divino, a paternidade, o casamento é a única forma legítima aos olhos de Deus de se experimentar na plenitude a paternidade. Explico melhor, é por meio do casamento que gerando filhos, poderemos ser imagem de Deus para nossos filhos, experimentaremos o que significa ser Pai e demonstraremos a nossos filhos o caráter de nosso Pai celeste! Uau! Que tremendo privilégio, pensei. Eu com todas as minhas debilidades, serei capaz de experimentar da paternidade e transmitir a meus filhos o que Deus é em sua essência!!! Por um lado me senti imensamente privilegiado, de outro lado que responsabilidade terrível... o fato é que esta conversa dissipou meus temores acerca do casamento e me apresentou um desafio maravilhoso de experimentar esta paternidade e viver este privilégio. Poucos anos depois me casaria e iniciaria esta empolgante jornada da paternidade, digo-vos o irmão estava certo, que privilégio tremendo!!!

Interessante que bem antes disto, cerca de seis anos antes, havia participado de um seminário “conflitos da vida”, onde fora instruído de forma muito simples e clara sobre o funcionamento da família, e aquilo passou a fazer parte de minha vida, ao ponto de sendo ainda solteiro e bem jovem, utilizava os ensinos recebidos e instruía casais nos quesitos básicos que aprendera, e aqueles que creram na palavra anunciada, se beneficiaram tremendamente do que Deus pode realizar pela obediência.

Em outra ocasião tive o privilégio de passar dois ou três dias na casa de uma família na Argentina e o que vi me encheu de fé e esperança, os princípios que havia ouvido no seminário, agora eu via diante de meus olhos sendo aplicados e produzindo os resultados esperados, um casal vivendo em harmonia, cinco filhos naturais que simplesmente encantavam quem os conhecia, pela educação, respeito, serviço, obediência, alegria... parecia coisa de cinema, me encantei e pensei, quero isto para minha casa. Tive o privilégio de receber este casal , duas filhas e duas amigas em minha casa anos mais tarde, e confirmar o que vira lá, filhas obedientes, respeitosas e muito felizes, nesta época os meus filhos ainda eram pequenos e muito fomos enriquecidos com este convívio, só para fechar este assunto, este casal teve cinco filhos naturais e cuidou de mais sete adotivos em diversas faixas etárias, todos comprometeram-se com Cristo e servem ao Senhor.

Também não poderia esquecer de que fui criado por pais zelosos e atentos ao que acontecia conosco, para se ter ideia, jamais presenciei uma discussão em voz alterada de meus pais, e sei que eles tinham suas diferenças de opinião... aprendi deles esta lição e inúmeras outras, de novo fui privilegiado por viver em uma família estável, que se respeitava e na luz que tinha buscava viver uma vida reta, diga-se de passagem, conheço famílias com muito mais informação sobre o Reino de Deus que sequer passa perto do que vivemos... certamente tive minhas neuras de adolescente e inúmeras crises em minha mente, mas uma boa semente fora plantada e creio que floresceu. Nestas neuras, uma me ocupou por um bom tempo, eu me ressentia da ausência de meu pai, ele trabalhava demais da conta, era o que sabia fazer para demonstrar seu amor por nós, só descobri isto alguns poucos anos depois de convertido, quando me foi revelado Ml 4:6, daí meu coração se converteu ao de meu pai e nos tornamos bons amigos, batemos bons papos, no fim de seus dias, acometido por grave enfisema pulmonar tive a oportunidade de auxiliar em seus banhos e de fazer sua barba, o que mais senti com sua falta, foi que meus filhos não teriam o privilégio de ter sua companhia e receber do avô aquilo que eu pude receber do meu.

Outra influência de inestimável valor foi meu avô materno, figura única para se ter uma ideia um tio mandou escrever na lápide dele; aqui jaz... viveu em paz com os homens, com Deus e com sua criação. Tive a riquíssima experiência de viver com meu avô até os dezesseis anos de idade, quando ele partiu aos 93 anos, com ele passava horas ouvindo histórias de bois, exposições, causos dos antigos, brincava com um sacolão de moedas antigas, construímos galinheiros, andei de cavalo, e mais no fim de suavida, fiz sua barba e cortei seu cabelo, ele era portador de uma paciência enorme e como ele dizia eu era muito “estabanado”, ainda não me livrei deste mal, e é o que me impede de ser um bom artesão, falta-me a paciência e a meticulosidade necessárias a transformar as coisa naquilo que imaginei, aliás este é também meu problema com o futebol, a dança etc... minha pequena cabeça vai muito adiante de minhas habilidades físicas, aí a frustração vem e paro o que estou fazendo.

Minha mãe, outra figura de inestimável valor, tinha suas debilidades, a que mais me irritava era que se ela achava algo bom, isto seria bom para todos (tenho percebido que não era só ela, parece que isto é meio que universal no meio das mulheres...), mas o fato é que ela era incansável em suas responsabilidades, cuidava de toda a família, da casa e ainda moravam conosco meu avô e uma tia enferma que dava muito trabalho, além disso sempre haviam parentes do interior e outras pessoas que nos procuravam para serem encaminhados a hospitais e médicos, nossa casa sempre foi muito movimentada, aprendi a hospitalidade com ela, bem antes de ouvir esta palavra nas escrituras... interessante que em meio a toda esta atividade, ela encontrava tempo para se dedicar ao Senhor e aos irmãos, a capacidade de se encantar com as pequenas e grandes coisas da natureza, o deslumbramento com as maravilhas da criação, seu entusiasmo com viagens e com novas descobertas, uma mulher virtuosa sem dúvidas.

Lembrando destas coisas sou obrigado a dizer, muitíssimo obrigado Senhor, nada disto foi mérito meu, não merecia nada, e me deste graciosamente tudo. Ajuda-me a de alguma maneira abençoar a famílias nesta geração, toda esta riqueza não pode ficar retida em mim. Ajuda-me!

Teria ainda muitas outras boas influências a citar, mas fico por estas que foram as principais.

O resultado de tudo isto é que quando nos casamos, minha esposa e eu, desejávamos cumprir o propósito de Deus para a família, em sua plenitude, cremos de todo o coração nas declarações bíblicas acerca da bênção que são os filhos e também na sabedoria divina repartida em  sua Palavra sobre como deveríamos instruir e educar nossos filhos e também na suma importância de sermos nós o seu primeiro modelo do que é ser de Cristo, nossos três filhos foram desejados e amados antes de serem concebidos e foram recebidos como um presente das mãos dos Pai, que nos incumbiu de cuidar daqueles que lhe pertencem para apresenta-los de volta a Ele no tempo devido, talvez esta seja a parte mais dura de toda a experiência, saber e agir de acordo com a verdade de que aqueles a quem tanto amamos e nos devotamos, na verdade não nos pertencem, mas são propriedade do Altíssimo e portanto não temos o direito de agirmos segundo o nosso entendimento, mas temos a suprema necessidade de perguntarmos a Ele o que fazer, como fazer etc... nossa sabedoria e conhecimento naturais são insuficientes e inadequados a tão gloriosa tarefa, a pseudo sabedoria dos sábios deste século, pior ainda. Somente quem criou e designou tem o necessário a nos socorrer no desempenho deste serviço.

Mesmo sabendo disto tudo, iniciamos nossa caminhada com muitas incertezas, medos, inseguranças, mas o que fazíamos ou deixávamos de fazer era feito por fé. Na certeza de que Deus de alguma forma interviria e nos orientaria em cada circunstância, podemos dizer hoje que com certeza esta fé foi comprovada e mostrou-se adequada.

Uma chave que nos abriu inúmeras portas foi descobrir Mt 6, aprendemos cedo que nossos filhos seriam educados para satisfazer ao Senhor e não aos homens, buscamos sempre a aprovação divina, sem nos preocuparmos em mostrar nossos filhos aos homens, não os poupamos de nada, tampouco os expusemos indevidamente. Grave mal causamos a nossos filhos quando os educamos para ficarem bem diante dos homens, corrigimos o seu comportamento para que vejam os “filhos do pastor”. Iisto é morte. Eduquemos nossos filhos para que sejam aprovados por Deus, não pelos homens. Neste sentido foi de imensurável ajuda a leitura do livro “pastoreando o caroção das crianças”, uma verdadeira pérola que nos deu clara orientação de focarmos o coração, o íntimo, e não o comportamento. Afinal nosso propósito é criarmos cidadãos do céu e não meninos bem comportados para uma sociedade doente, somente pessoas com um coração forte e bem estabelecido serão de real utilidade nesta terra, rapazes e moças bonzinhos não suportarão a pressão dos tempos.

Nossos três filhos foram criados naquilo que entendemos e cremos ser a disciplina e admoestação do Senhor, foram profundamente amados, instruídos, ensinados e corrigidos sempre que necessário, ainda hoje nos chamam de radicais, extremados, exagerados e sei lá eu de que mais, mas uma coisa é fato nossos filhos tem clara definição de identidade e de propósito, certamente não se encaixam na definição de sucesso deste século, seja ela a definição dos religiosos ou a dos estudiosos, mas estão todos no Senhor, tem seus dilemas pessoais, e nenhum trauma ou revolta ou quaisquer das neuras que esta “ciência moderna” nos tenta dizer que são consequência do uso da orientação bíblica na formação dos filhos. Esta “ciência” tem mais é que ser contrária à bíblia, pois homens e mulheres que tenham claro em seu coração qual sua identidade e propósito serão altamente tóxicos para o sistema desta terra.

Em nossa tarefa fomos imensamente ajudados por vários irmãos que nos instruíram, participaram de nossas aflições, também por vários livros de valor incalculável, o que dizer de livros como; ouse disciplinar, disciplina um ato de amor, conversa franca, esconde esconde, educando meninos, educando meninas, pastoreando o coração da criança, coração selvagem, a grande aventura masculina, barbarakah, a apostila de fundamentos sobre a família, a família do cristão, e etc... a inestimável contribuição de irmãos que nos ensinaram em público ou em particular sobre este assunto...

Lí de um escritor alemão; para todo o ofício o homem se prepara, mas para o maior ofício de todos, o casamento, ninguém se prepara. Esta é uma triste verdade, as pessoas pensam que para viver uma vida de família, aquilo que aprendemos em nossas casas é suficiente, se tudo que quisermos for repetir o que nossos pais viveram, de uma forma mais pobre, isto é suficiente. Contudo se quisermos desfrutar de tudo o que Deus propôs para a família, temos muito o que aprender, seja com nossos irmãos, com boa literatura, seminários, observação pura e simples de como vivem os que estão próximos de nós em santidade, observação do que é positivo e do que é negativo... ouvindo, vendo perguntando, o fato é que não sabemos como convém e” a graça de Deus se manifestou salvadora educando-nos para que renegadas a impiedade e a perversão, vivamos no presente século, vida sensata, justa e piedosa.”  É verdade, Deus providenciou tudo o de que necessitamos para uma vida em abundância já nesta terra, contudo se nos acomodarmos ao que vemos ao nosso derredor diariamente, continuaremos a viver uma vida medíocre e a contar com a sorte para vermos dias melhores, isto é uma lástima.


segunda-feira, 28 de dezembro de 2015

DISCIPULADO







DISCIPULADO

O chamado; Pedro, Tiago, João.... atenderam o chamado pela autoridade de quem o fez, ninguém pode ser discípulo de Jesus, senão em resposta ao chamado dele, aquele que chama capacita ao discipulado. Em Jo 15, antes de sua partida, Jesus lembra os discípulos da condição em que foram chamados. Àqueles estava destinado gastar o resto de suas vidas junto ao mar pescando, sem qualquer outra perspectiva, Jesus chega e diz vinde e farei de vocês pescadores de homens, vamos conquista-los pelo amor e dar-lhes uma nova vida... 

Importante entender, que ser discípulo de um rabino naquele tempo era o que havia de mais importante para ser naquela cultura, apenas os mais aptos e que caíssem na graça do mestre que escolheram , seriam aceitos como discípulos. E por isto seriam admirados pelo povo.

Vemos em Lc 9;57 que três homens se ofereceram para seguirem com Jesus....

Jesus não estava em busca de gente “entusiasmada”, mas daqueles que respondessem ao seu chamado. Muitos sofrem decepção por se oferecerem ao discipulado sem terem ouvido um claro chamado a ser discípulo, acreditam que sua boa vontade é suficiente e que estão quase fazendo um favor em se oferecer.

Em minha juventude tentava ser um bom rapaz e agradar a Deus, neste tempo ouvi o chamado dele, venha a mim....

O discipulado é a Cristo.

À partir do momento que respondo ao chamado positivamente, já não há mais opções, apenas seguir o chamado.

O chamado em primeiro lugar se refere a andar com Cristo, tornar-se semelhante a Ele e em decorrência disto tornar-se um pescador de homens. Qualquer outro chamado mais específico será decorrência da resposta ao chamado inicial.

Mt 28 18-20 como fazer discípulos?

Indo - enquanto você segue o curso da vida, seja qual for sua atividade no momento.

Fazei discípulos - mostre o reino de Deus e anuncie a boa nova.

De todas as nações - de todo etnos, todo grupo social, sem limitações.

Batizando-os em nome do Pai do Filho e do Espírito Santo - o batismo é a resposta da fé, inclui o 
homem em Cristo e sua igreja, é aporta de entrada no discipulado.

Ensinando-os a guardar - mostrando com sua vida o que significa seguir a Cristo, não basta informação sobre, é necessário mostrar como.

Todas as coisas que vos tenho ordenado - amem-se uns aos outros, resume tudo.

E eis que estou convosco, todos os dias até a consumação do século - a presença do Cristo torna tudo possível.

segunda-feira, 21 de dezembro de 2015

Comparações a que fim servem?



Ef 4;4-6

Há um só corpo e um só Espírito, como também fostes chamados em uma só esperança da vossa vocação;
Um só Senhor, uma só fé, um só batismo;
Um só Deus e Pai de todos, o qual é sobre todos, e por todos e em todos vós.

Estas são as bases de unidade da igreja. São sete fundamentos inegociáveis e imutáveis.

Todos que estão de fato sobre estas bases, foram feitos um por Deus, independente de suas vontades.

Cristo tem um e apenas um corpo, queiramos isto ou não.

A unidade é resultado desta identidade e soberanamente determinada por Deus.

Só podemos deixar de ser um, excluindo os demais ou a nós mesmos....

Uma vez colocados no corpo só deixaremos de ser um, se sairmos do corpo.

Isto inclui todos os que se enquadram em Ef 4;6-8, gostemos ou não, concordemos ou não, simpatizemos ou não. (pentecostais, tradicionais, neo pentecostais...).

A razão de ser da unidade é a identidade, somos filhos de Deus, as bases de nossos relacionamentos, é a nossa identidade, e não nossa função ou posição.

I Co 1;12 Quero dizer com isto, que cada um de vós diz: Eu sou de Paulo, e eu de Apolo, e eu de Cefas, e eu de Cristo.

As comparações existiam porque existem diferenças, observe que Paulo não condena a existência de vários apóstolos numa mesma cidade, mas as comparações feitas pelo povo, gerando competição, desprezo, até idolatria.

Entre nós existem diferenças, como existiam entre os apóstolos, porém nenhuma delas deveria ser motivo de desunião e divisão ou comparação.

Temos inúmeras diferenças de ação, carisma, talento, temperamento, ênfases, ministérios, comportamento, forma de fazer as coisas, costumes, família, personalidade, experiências...

As comparações são basicamente o fruto de duas atitudes;

1-Orgulho espiritual queremos provar que somos melhores, ninguém se identifica com o pior...

2-Desculpa para não cumprir o que Deus me falou pessoalmente (fulano faz assim, sicrano faz assado... eu acabo não fazendo nada.)

As comparações com este propósito são pecado, trazem divisão, contenda, competiç/ão, altivez de espírito, separam os irmãos, sentimento de estar perdendo por não estar em outro lugar...

Tenho por certo de que qualquer tipo de comparação entre pessoas e ministérios, por fim trará competição, discórdia, julgamento, manifestará preferências por alguns em detrimento de outros, enfim manifestarão um festival de carnalidade.

Muitos se utilizam da comparação com outros para se projetarem pessoalmente e mostrar o quanto mais justos, sábios e entendido, são que os demais. Na maioria das vezes isto demonstra um poço de insegurança.

Outros comparam aqueles que estão “acima” deles, para desfrutar da “glória” de seu líder, senhores isto é carnalidade e destruirá a comunidade!

A unidade não tem nada que ver com uniformidade, a sabedoria de 
Deus é multiforme.

As semelhanças são devidas a Cristo em nós.

I Co 12

4-Ora, há diversidade de dons, mas o Espírito é o mesmo.
5-E há diversidade de ministérios, mas o Senhor é o mesmo.
6-E há diversidade de operações, mas é o mesmo Deus que opera tudo em todos.
7-Mas a manifestação do Espírito é dada a cada um, para o que for útil.
8-Porque a um pelo Espírito é dada a palavra da sabedoria; e a outro, pelo mesmo Espírito, a palavra da ciência;
9-E a outro, pelo mesmo Espírito, a fé; e a outro, pelo mesmo Espírito, os dons de curar;
10-E a outro a operação de maravilhas; e a outro a profecia; e a outro o dom de discernir os espíritos; e a outro a variedade de línguas; e a outro a interpretação das línguas.
11-Mas um só e o mesmo Espírito opera todas estas coisas, repartindo particularmente a cada um como quer.
12-Porque, assim como o corpo é um, e tem muitos membros, e todos os membros, sendo muitos, são um só corpo, assim é Cristo também.
Somos diferentes, e sempre seremos diferentes a única esperança é Cristo em nós.

Fazer todas as coisas iguaizinhos, não nos fará mais unidos, somente a compreensão de estarmos incluídos em um só corpo é que nos habilitará.

Divisão é pecado.

Ser um não significa sermos iguais.

Ser um é consequência de estarmos em Cristo.

A única chance de não ser um é se não estiver em Cristo.

Se alguém estiver edificando madeira, feno ou palha, o final dos tempos é que dirá isto.

Deus é o Juíz.

Da biologia aprendemos que o corpo humano tem um genótipo (de gens) e um fenótipo.

O genótipo diz qual a nossa descendência, depende exclusivamente de nossa filiação e da herança genética de nossos pais, sabemos pela fé que fomos enxertados em Cristo, agora temos a genética do filho, todo aquele que foi gerado em Cristo tem o “genótipo” semelhante. O genótipo não muda.


O fenótipo diz respeito às características apresentadas pelo indivíduo, sejam elas morfológicas, fisiológicas, ou comportamentais, que são em muito influenciados pelo meio, experiências etc... o fenótipo sofre alterações com o passar do tempo. Assim, podemos ter pessoas com genótipos semelhantes e que tem fenótipos diferentes, gerando assim a multiforme sabedoria de Deus. Embora os filhos de Deus tenham em comum o gene do Cristo, sua aparência, hábitos, formas podem ser bastante diferentes dependendo de cada pessoa. O que realmente importa é que estejamos inseridos em Cristo, a forma exterior será transformada por Ele.

segunda-feira, 14 de dezembro de 2015

pombos e urubus












Pombos e urubus.

Ouvi esta ilustração em um mensagem do Pr Carlos Alberto Bezerra, o pombo é um ser que alimenta-se principalmente  de pequenas sementes, aconteça o que acontecer, este é o seu alimento, o urubu por sua vez alimenta-se primordialmente da carne de animais mortos (carniça), em sua falta, também caça pequenos animais. Suponhamos que alguém decida mudar a natureza de um urubu, pegue o urubu, lhe ensine bons modos, encontre uma maneira de clarear as penas de forma a ficar mais parecido com uma pomba, ao final de todo o trabalho, o urubu sairá dali para comer carniça, esta é a sua natureza, não há maneira de fazer com que o urubu se alimente de sementes e frutas, por mais que se tente ele voltará à carniça, a única maneira de se proceder esta mudança, é se o urubu morrer urubu e ressuscitar pombo


Parece meio esquisito que alguém queira transformar um urubu em um pombo, mas temos feito coisa semelhante ao tentar melhorar os descentes de Adão, até que se pareçam com Cristo. Às vezes queremos instruir uma pessoa, e gastamos anos fazendo isto, ensinamos bons modos, boa educação, princípios de honestidade, honra, respeito e até conseguimos alguns progressos com isto, mas nos esquecemos da coisa mais básica, se a natureza do homem não mudar, de muito pouco adianta melhorar seu exterior, o velho Adão jamais será capaz de manifestar a vida do Cristo, a única maneira disto acontecer é ele morrer Adão e ressuscitar Cristo, é um colossal desperdício de tempo e recursos variados, tentar melhorar  Adão, Adão necessita passar por um processo de morte e ressureição para que possa ser como Cristo.

segunda-feira, 7 de dezembro de 2015

a disciplina do serviço



A disciplina do serviço.

Serviço cristão é uma manifestação clara de quem servimos, não é cristão o serviço que é cobrado ou requerido, muito menos imposto por qualquer motivo. Ninguém deve servir por constrangimento, para ficar bem na fita, para honrar outras pessoas, serviço cristão é servir por ter um coração de servo, uma inclinação interior em favor do próximo, colocando-o acima de meus interesses pessoais, servimos porque nosso mestre serviu, jamais em busca de recompensa ou reconhecimento. (Dag)

Resumo de capítulo do livro celebração da disciplina de George Foster.

Jo 13; 1-20 Jesus lava os pés dos discípulos.
Lc 9:46 quem é o maior?
Mt 20;25-28 não veio para ser servido...
Fp 2 ;5-11 ter o mesmo sentimento que houve em Cristo.
At 2;42-47 simplicidade, vida em comum.
At 4;32-35 Sinal do senhorio de Cristo.
Mt 6;1-4  serviço (justiça) oculta.
Gl 6;2 levar as cargas uns dos outros.
Jo 12;3 bálsamo derramamdo.

Definição de grandeza no reino de Deus; o maior será aquele que vos serve.

Há dois tipos de serviço, o serviço verdadeiro e o serviço farisaico, a diferenciação está essencialmente nos motivos pelos quais serve.

Farisaico
Verdadeiro
Resultado de esforço humano, muitos planos
Fruto de relacionamento com Deus
Impressiona-se com a aparência, gosta de serviços “titânicos”
Não faz diferença entre serviços grandes e pequenos
Demanda recompensas
Descansa no anonimato
Busca reconhecimento humano
Contenta-se com aprovação divina
Preocupa-se com resultados
Deleita-se no serviço
Amargura-se com resultado aquém do esperado
Deleita-se no serviço
Escolhe a quem servir;
Aos poderosos pelas vantagens.
Aos indefesos pela aparência de humildade
Não faz discriminação a quem servir.
Divide a comunidade, deixa as pessoas em débito
Edifica, não requer reciprocidade.
Afetado por estados de ânimo
Serve porque há necessidade, permite ao serviço dominar os sentidos.
É temporário
É um estilo de vida
Não tem sensibilidade, quer executar o serviço e pronto
É livre para não servir, se for o caso.

Serviço X humildade
O serviço é a melhor forma de alcançar humildade, ele disciplina nossos desejos egoístas e sujeita-os, o serviço por sí só já aborrece a carne, quando feito no anonimato então!!!

E se abusarem de mim?

Há uma diferença entre servir e escolher ser servo, servir pode ser um ato isolado, escolher ser servo demonstra uma disposição de vida.

No velho testamento há o conceito de escravo de amor, alguém que podendo ser livre, faz-se escravo por amor de sua família.

Quem pode magoar alguém que livremente escolheu ser pisado?
Serviço obrigado (escravidão) é cruel e desumanizante, serviço voluntário é uma alegria.

Expressões externas de serviço.

Não é um rol de coisas a fazer, embora nos leve a fazer coisas.

1-     Serviço anônimo: “o anonimato é uma censura à carne e pode desferir um golpe mortal no orgulho”.
             “não há limites para o que um homem possa alcançar, se ele não se importar com quem receba a glória”.                         
                Anima a comunidade, encoraja, fortalece laços. (cartões e mensagens anônimas,       pequenos presentes, etc...)

2-      Serviço de pequenas coisas;

As pequenas coisas não param,
As pequenas coisas é que complicam.
As pequenas coisas são comuns a todos.
As pequenas coisas não devem ser desprezadas.

3-      Serviço de proteger a reputação alheia.
A língua malévola desfere um golpe mortal na caridade de todos quantos a ouvem e, até onde possível, destrói raiz e galho, não somente nos ouvintes imediatos, mas também em todos os outros a quem a calunia, voando de lábio a lábio é repetida depois...

4-      Serviço de ser servido
É um ato de submissão.
Não aceitar o serviço é um ato de orgulho.

5-      Serviço de cortesia comum.
Como vai? Bom dia, boa tarde, boa noite! Desculpe-me! Licença por favor! Obrigado!
Hábitos locais de cortesia e boa educação.

6-      Serviço da hospitalidade.
Você é o principal fator na hospedagem.
Nossas casas não são hotéis cinco estrelas.
Dê de sí mesmo, não apenas seu trabalho.
Descomplique.
O melhor da hospedagem é o relacionamento.

7-      Serviço de ouvir. (de extrema utilidade em nossos dias)
Ouvir com atenção integral.
Ouvir com tempo.
Não temos que ter resposta a tudo.
Jamais ouvir como um médico ouve ao paciente, para dar uma receita depois.
Ouvir com discrição, jamais sair contando o que ouviu sem autorização.
Muitas situações se resolvem apenas por ouvir.

8-      Serviço de levar as cargas uns dos outros.
Sofrer com os que sofrem.
Socorrer o necessitado.
Colocar-se no lugar dos outros.

9-      Serviço de partilhar a palavra da vida.
Anunciar o reino.
Aconselhar.
Instruir.
Exortar.

Serviço por dever é morte, serviço que flui do íntimo é vida e alegria.


domingo, 29 de novembro de 2015

SIMPLICIDADE





SIMPLICIDADE

O texto a seguir é um resumo do capítulo a disciplina da simplicidade do livro a celebração da disciplina.

É TER UM ÚNICO INTERESSE.
Simplicidade é liberdade. Duplicidade é cativeiro.
Simplicidade gera alegria, equilíbrio. Duplicidade gera ansiedade e medo.

É uma disciplina interna com conseqüências externas.
Por falta de um centro divino, a necessidade de segurança levou-nos a um apego insano às coisas naturais.

A bíblia e a simplicidade:

IICoríntios
11 - 3   Mas receio que, assim como a serpente enganou a Eva com a sua astúcia, assim também seja corrompida a vossa mente e se aparte da simplicidade e pureza devidas a Cristo.

Eclesiastes
7 - 29   Tudo o que aprendi se resume nisto: Deus nos fez simples e direitos, mas nós complicamos tudo.

Salmos
62 - 10   Não confiem na violência, nem esperem ganhar alguma coisa com o roubo. Ainda que as suas riquezas aumentem, não confiem nelas.

Provérbios
11 - 28   Quem confia nas suas riquezas cairá, mas os justos reverdecerão como a folhagem.

Lucas
16 - 13   Ninguém pode servir a dois senhores; porque ou há de aborrecer-se de um e amar ao outro ou se devotará a um e desprezará ao outro. Não podeis servir a Deus e às riquezas.
Lucas
6 - 20   Então, olhando ele para os seus discípulos, disse-lhes: Bem-aventurados vós, os pobres, porque vosso é o reino de Deus.
Lucas
6 - 24   Mas ai de vós, os ricos! Porque tendes a vossa consolação.

Mateus
6 - 19   Não acumuleis para vós outros tesouros sobre a terra, onde a traça e a ferrugem corroem e onde ladrões escavam e roubam;

6 - 20   mas ajuntai para vós outros tesouros no céu, onde traça nem ferrugem corrói, e onde ladrões não escavam, nem roubam;

12 - 15   Então, lhes recomendou: Tende cuidado e guardai-vos de toda e qualquer avareza; porque a vida de um homem não consiste na abundância dos bens que ele possui.

12 - 16   E lhes proferiu ainda uma parábola, dizendo: O campo de um homem rico produziu com abundância.

12 - 17   E arrazoava consigo mesmo, dizendo: Que farei, pois não tenho onde recolher os meus frutos?

12 - 18   E disse: Farei isto: destruirei os meus celeiros, reconstruí-los-ei maiores e aí recolherei todo o meu produto e todos os meus bens.

12 - 19   Então, direi à minha alma: tens em depósito muitos bens para muitos anos; descansa, come, bebe e regala-te.

12 - 20   Mas Deus lhe disse: Louco, esta noite te pedirão a tua alma; e o que tens preparado, para quem será? (nós o chamaríamos de prudente...)

12 - 21   Assim é o que entesoura para si mesmo e não é rico para com Deus.

12 - 33   Vendei os vossos bens e dai esmola; fazei para vós outros bolsas que não desgastem, tesouro inextinguível nos céus, onde não chega o ladrão, nem a traça consome,

12 - 34   porque, onde está o vosso tesouro, aí estará também o vosso coração

Lucas
6 - 30   dá a todo o que te pede; e, se alguém levar o que é teu, não entres em demanda.

I Timóteo
6 - 9   Ora, os que querem ficar ricos caem em tentação, e cilada, e em muitas concupiscências insensatas e perniciosas, as quais afogam os homens na ruína e perdição.

ITimóteo
3 - 3   não dado ao vinho, não violento, porém cordato, inimigo de contendas, não avarento;

ITimóteo
3 - 8   Semelhantemente, quanto a diáconos, é necessário que sejam respeitáveis, de uma só palavra, não inclinados a muito vinho, não cobiçosos de sórdida ganância,

Hebreus
13 - 5   Não se deixem dominar pelo amor ao dinheiro e fiquem satisfeitos com o que vocês têm, pois Deus disse: “Eu nunca os deixarei e jamais os abandonarei.”

Tiago
4 - 2   Vocês querem muitas coisas; mas, como não podem tê-las, estão prontos até para matar a fim de consegui-las. Vocês as desejam ardentemente; mas, como não conseguem possuí-las, brigam e lutam. Não conseguem o que querem porque não pedem a Deus.

ICoríntios
5 - 11   O que eu digo é que vocês não devem ter nada a ver com ninguém que se diz irmão na fé, mas é imoral, ou avarento, ou adora ídolos, ou é bêbado, ou difamador, ou ladrão. Com gente assim vocês não devem nem comer uma refeição.

I Timóteo
6 - 17   Exorta aos ricos do presente século que não sejam orgulhosos, nem depositem a sua esperança na instabilidade da riqueza, mas em Deus, que tudo nos proporciona ricamente para nosso aprazimento;

6 - 18   que pratiquem o bem, sejam ricos de boas obras, generosos em dar e prontos a repartir;

6 - 19   que acumulem para si mesmos tesouros, sólido fundamento para o futuro, a fim de se apoderarem da verdadeira vida.


Deus deseja que tenhamos a provisão necessária, a pobreza forçada é maligna e deve ser repudiada.

O ascetismo é contrário à simplicidade, ele prega que o espiritual é bom e o material é maligno, desconsidera os aspectos físicos da existência.

A simplicidade é a única coisa que nos proporciona reorientação suficiente para que os bens materiais sejam desfrutados genuinamente sem que nos destruam.

UM PONTO DE APOIO  PARA A SIMPLICIDADE:

BUSCAI  POIS EM PRIMEIRO...

Mateus
6 - 25   — Por isso eu digo a vocês: não se preocupem com a comida e com a bebida que precisam para viver nem com a roupa que precisam para se vestir. Afinal, será que a vida não é mais importante do que a comida? E será que o corpo não é mais importante do que as roupas?

6 - 26   Vejam os passarinhos que voam pelo céu: eles não semeiam, não colhem, nem guardam comida em depósitos. No entanto, o Pai de vocês, que está no céu, dá de comer a eles. Será que vocês não valem muito mais do que os passarinhos?

6 - 27   E nenhum de vocês pode encompridar a sua vida, por mais que se preocupe com isso.

6 - 28   — E por que vocês se preocupam com roupas? Vejam como crescem as flores do campo: elas não trabalham, nem fazem roupas para si mesmas.

6 - 29   Mas eu afirmo a vocês que nem mesmo Salomão, sendo tão rico, usava roupas tão bonitas como essas flores.

6 - 30   É Deus quem veste a erva do campo, que hoje dá flor e amanhã desaparece, queimada no forno. Então é claro que ele vestirá também vocês, que têm uma fé tão pequena
6 - 31   Portanto, não fiquem preocupados, perguntando: “Onde é que vamos arranjar comida?” ou “Onde é que vamos arranjar bebida?” ou “Onde é que vamos arranjar roupas?”

6 - 32   Pois os pagãos é que estão sempre procurando essas coisas. O Pai de vocês, que está no céu, sabe que vocês precisam de tudo isso.

6 - 33   Portanto, ponham em primeiro lugar na sua vida o Reino de Deus e aquilo que Deus quer, e ele lhes dará todas essas coisas.

6 - 34   Por isso, não fiquem preocupados com o dia de amanhã, pois o dia de amanhã trará as suas próprias preocupações. Para cada dia bastam as suas próprias dificuldades

O foco no Reino produz a realidade interior; sem a realidade interior seremos corrompidos por trivialidades legalistas.
Estar livre de ansiedade é uma das evidências internas de quem busca o reino de Deus em primeiro lugar.

TRES ATITUDES INTERIORES QUE CARACTERIZAM A LIBERDADE EM RELAÇÃO À ANSIEDADE:

    -RECEBER TUDO O QUE TEMOS COMO UM DOM.

    -SABER QUE TUDO O QUE TEMOS É CUIDADO POR      DEUS E NÃO POR NÓS.

    -COLOCAR O QUE TEMOS À DISPOSIÇÃO DOS OUTROS.

PRÁTICAS EXTERNAS:

  1 - COMPRE AS COISAS SOMENTE POR SUA UTILIDADE (DISCERNIR ENTRE FERRAMENTAS E BRINQUEDOS).
          Ferramentas são instrumentos utilizados para potencializar o trabalho, uma ferramenta adequada possibilita um trabalho de melhor rendimento em qualidade e quantidade.
           Brinquedos são instrumentos utilizados para lazer e diversão, muitas vezes até competem com a realização do trabalho necessário;

   2- REJEITE QUALQUER COISA QUE ESTEJA CAUSANDO ALGUMA DEPENDÊNCIA (COMPULSÕES INDISCIPLINADAS) .

  3 - CRIE O HÁBITO DE DAR COISAS ( ESPECIALMENTE       AS MAIS QUERIDAS).

  4 - RECUSE A PROPAGANDA FEITA PELOS GUARDIÕES DA MODERNA QUINQUILHARIA ELETRÔNICA.

  5 - APRENDA A DESFRUTAR DAS COISAS SEM POSSUÍ-LAS.

  6 - DESENVOLVA UM APREÇO MAIS PROFUNDO PELA CRIAÇÃO.

  7 - OLHE COM CEPTICISMO SAUDÁVEL TODOS OS PLANOS DO TIPO LEVE AGORA E PAGUE DEPOIS.

  8 - OBEDEÇA ÀS INSTRUÇÕES DE JESUS SOBRE A LINGUAGEM CLARA, HONESTA.

  9 - RECUSE TUDO QUANTO GERA OPRESSÃO NOS OUTROS.

  10 – AFASTE-SE DE QUALQUER COISA  QUE O DISTRAIA DE SUA BUSCA PELO REINO DE DEUS.

 11- MUITO CUIDADO COM AS PROMOÇÕES E OFERTAS IMPERD[IVEIS.


QUE DEUS NOS CONCEDA A CORAGEM E DISCIPLINA NECESSÁRIAS PARA VIVERMOS EM SIMPLICIDADE.