segunda-feira, 30 de dezembro de 2013

Nossos sonhos não conseguem superar os de Deus.

A maioria dos americanos (80 por cento) dizem que não tem sonhos, e podemos imaginar o porquê. A vida pode sugar o direito de sonhar de dentro de você. O Deus vivo quer derramar esses sonhos de volta dentro de você.  Dezesseis (16) por cento dos americanos dizem que eles têm sonhos, mas não os escrevem. Quatro (4) por cento têm sonhos e desejos, e os anotam, mas menos de um (1) por cento os revisam e atualizam em uma base regular.
São as pessoas que se permitem sonhar, que possuem os seus sonhos, que os escrevem e olham para eles periodicamente, cujos sonhos de vida estão se tornando realidade.
É bom sonhar. Não podemos dar mais do que Deus. Não podemos amar mais do que Ele, e nós não podemos sonhar maior que ele. Dê a si mesmo permissão para sonhar grande! Sonhe profundo. Sonhe amplo.
Porque a verdade sobre os sonhos é: os sonhos se tornam realidade.
Despertar e possuir os sonhos que Deus colocou em  nossos corações não é sobre a obtenção de coisas ou alcançar algo. É sobre abraçar quem somos e o que Ele nos criou para ser.Nele. Ele é o nosso sonho, e o verdadeiro amor da nossa vida. Mas não podemos amá-lo com todo o nosso coração, quando nossos corações estão dormindo. Amar Jesus significa correr o risco de estar  acordado, arriscar querendo e desejando. 

Tradução de texto de John Eldredge “ We can’t out-dream God”

sábado, 28 de dezembro de 2013

A obra do Senhor



A obra do Senhor

Qualquer pessoa que entre em uma igreja evangélica e assente-se para ouvir um sermão dominical, certamente ouvirá um apelo para que o cristão empenhe-se em executar “a obra do Senhor”, a ser fiel e zeloso, de tal sorte que essa obra maravilhosa não seja prejudicada pela sua negligência ou omissão. Com certeza, o ministro também deixará bem claro o que ele quer dizer com “a obra do Senhor”, de modo que recordará ao cristão a sua obrigação de evangelizar, de contribuir, de orar; de ser assíduo nos cultos e aos demais serviços, de se engajar nas atividades dos diversos departamentos da igreja, e assim por diante.

Nesses momentos uma pergunta sempre me toma de assalto, furiosa e constrangedora: será essa realmente a “obra do Senhor”? Foi para isto que realmente fomos criados e colocados neste mundo pleno de possibilidades e prenhe de dificuldades? Será que é realmente para realizarmos este tipo de obra que deveremos com o suor do rosto comer o nosso pão, para depois de vencer os espinhos e cardos retornar ao pó de onde fomos tirados?

Incômoda e perversa dúvida, que me tira a paz e impede a perfeita comunhão durante o serviço religioso; que me acompanha de volta ao lar, que à mesa do almoço de domingo contrapõe-se ao rosto sadio e vigoroso dos meus cinco filhos ou ao sorriso doce da minha companheira; que se reflete nos livros em minhas estantes, ou que embaralha os sons da “sonata ao luar”, intercalando entre eles notas de dissonância e de apreensão; que definitivamente se enfraquece quando o aroma da comida e do vinho me chegam à boca.

Deve haver também uma outra “obra do Senhor”, por certo. E nela não faltarão os filhos e a mulher, o comer e beber bem, a alegria da vida e a paz do lar; os deleites e prazeres da alma, ou o desabrochar seguro, gradual e incessante dos fluxos de amor, da criatividade, da energia realizadora, que nascem de dentro de nós, e que, apesar de tudo e contra tudo isso, concretizam-se nas “boas obras que Deus já antes tinha preparado para que nelas andássemos”.(Ef2;10b)

Pois é esta visão do mundo, integral e ampla, que não se esquece do definitivo, mas que acaricia com carinho o temporal e provisório, e que se volta sobre o homem total, que sobressai das páginas do Gênesis com a força e a rudeza de um mundo juvenil e recém  criado, e que na exuberância da presença do Altíssimo clama aos quatro ventos que é “muito bom” (Gn 1;31)

É desta visão que carece a moribunda civilização do ocidente, e sem ela não poderá dar à luz o filho renovado que traz em seu ventre. Os trabalhos deste parto estão confiados àqueles que nãos se afastaram das verdades das escrituras, e que conservaram as corretas dimensões da religião. Trabalhemos, pois, de forma correta e hábil! E a primeira coisa a fazer é resgatar esta primordial visão  do mundo, de forma que nossos olhos abram-se e possamos então perceber como hoje estamos nus!

Extraído do livro “uma sinfonia para a vida” Paulo José F. de Oliveira.  Editora ABU.

sexta-feira, 27 de dezembro de 2013

Da fórmula para o relacionamento.



Tradução da mensagem do dia de Randsomed Heart, John Eldredge.

Da fórmula para o relacionamento.

Nosso falso eu (impostor) exige uma fórmula antes que ele  se envolva, ele quer uma garantia de sucesso, e senhor, você não ira obter uma garantia. Então chega um momento na vida de um homem quando ele tem que romper com tudo isso e ir para o desconhecido com Deus. Esta é uma parte vital de nossa jornada e se voltarmos atrás aqui, a jornada termina.

Antes do momento de maior teste de Adão Deus não providenciou  nenhum plano passo a passo, não deu nenhuma fórmula de como era para ele lidar com  toda a bagunça. Isso não foi  abandono,isso  foi  a maneira que Deus honrou Adão. Você é um homem; você não precisa de mim para te segurar pela mão em meio a isso. Você tem o que é preciso . O que Deus ofereceu a Adão, foi  amizade. Ele não foi deixado sozinho para enfrentar a vida, ele andou com Deus na viração do dia, e eles falaram sobre amor e casamento e criatividade, que lições que estava aprendendo e que aventuras estavam por vir. Isto é o que Deus está oferecendo a nós também. Como Oswald Chambers diz:

Chega a chamada desconcertante de Deus em nossas vidas também. O chamado de Deus nunca pode ser declarado explicitamente, mas está implícito. O chamado de Deus é como o apelo do mar, ninguém o ouve, apenas aquele  que tem a natureza do mar nele. Não se pode afirmar definitivamente o  que o chamado de Deus é, porque o seu chamado é para a camaradagem com ele mesmo, para seus próprios fins, e o teste é crer  que Deus sabe o que ele está procurando.

A única maneira de viver nesta aventura com todo o seu perigo e imprevisibilidade e apostas imensamente altas,
é em um relacionamento íntimo permanente com Deus. O controle que tão desesperadamente ansiamos é uma ilusão. Muito melhor  desistir do controle em  troca da oferta de Deus de companheirismo, deixar de  lado fórmulas obsoletas para que possamos entrar em uma amizade informal.

quinta-feira, 26 de dezembro de 2013

Afinal o que é isto que chamamos visão da igreja???


Afinal o que é isto que chamamos visão da igreja???

Imaginemos um plano de “negócios”.

Para se realizar um bom plano existem sete perguntas cruciais;

O quê?  Porquê? Para que? Onde? Quando? Quanto custa? Quem?

O que? A igreja – assembléia, conjunto dos discípulos de Jesus Cristo, comunhão daqueles que foram chamados por Ele para serem suas testemunhas.
Quem? Ele mesmo disse que edificaria a sua igreja.
Como? Por meio daqueles que ele chamou, através de relacionamentos profundos.
Porque? Porque Deus sendo espírito não pode ser visto pelo homem, daí a necessidade de um corpo físico para expressá-lo na terra.
Para que? Para proclamar as virtudes daquele que nos chamou das trevas para a Sua luz e colocar todas as coisas sujeitas ao Filho.
Onde? Em toda tribo, língua, povo, nação. É um projeto mundial, sem fronteiras.
Quando? De agora até os fins dos tempos, eterno.
Quanto custa? O sangue do cordeiro, mui precioso. A vida dos discípulos.

O que é a igreja?
Eclésia, assembléia, chamados para fora.
Demos o nome de “Visão da igreja”, à percepção que tivemos de que igreja de Cristo não é prédio, instituição, ONG, movimento, a Igreja é gente. Pessoas que tem em comum o seu chamado por Cristo ao discipulado, aqueles que o ouviram, creram e se dispuseram a seguí-lo.
Duas pessoas que se relacionam por intermédio de Cristo, tem comunhão.
Duas pessoas que se relacionam diretamente, sem a intermediação de Cristo, tem confusão.
Qual a função da igreja? Proclamar a Cristo (manifestar a sua glória) por meio de seu viver diário, servindo, amando, trabalhando, brincando etc...
Como ela faz isto? De todas as formas possíveis e imagináveis.

O que é o grupo caseiro? Se estão reunidos ali em nome de Cristo, deixa de ser apenas um pequeno grupo, é a Igreja de Cristo em ação, Ele está ali corporalmente por meio de seus filhos. Aquele se torna o lugar mais sagrado da terra. Tudo o que se espera acontecer numa reunião da igreja , pode ter lugar ali, batismo, ceia, profecia, línguas, interpretações, salvação, libertação, cura, etc...
O que impede que isto aconteça? A falta de entendimento de que ao nos encontrarmos em nome dEle, Ele está ali. A nossa mente pré formatada do funcionamento das reuniões, onde o pastor fala e os demais ouvem. Nossa religiosidade e culto às formas. A necessidade do líder de dar a palavra final. A falta de pessoas novas.Tudo isto e mais um monte de coisas formam um reunião “canseira.” O que muda tudo é cultuar a presença real do Cristo que se manifesta na vida dos irmão e dar liberdade para a expressão do Corpo de Cristo. Quando Ele está presente e existe alguma necessidade, algo acontece.

O que faziam os discípulos quando alguma necessidade se apresentava? Iam ao mestre!!! Hoje o mestre habita pessoalmente em cada membro de seu corpo e quer se manifestar em cada um deles, teremos gratas surpresas quando crermos nisto e observarmos como, do mais novo ao mais experiente, Ele se expressa de forma espontânea. Antes de irmos aos nossos “gurus”, faríamos bem em ouvir ao Cristo presente na vida dos irmãos.

O que é discipulado? Uma ferramenta maravilhosa de transmissão de vida, se bem utilizado. Se mal utilizado, uma máquina mortífera. 

O que preciso para fazer discípulo??? Estar pleno de Cristo, se não for assim farei discípulos à minha semelhança e não à dele.

O que é necessário para que eu possa ajudar alguém a caminhar??? estar ao menos um passo à sua frente.

sexta-feira, 20 de dezembro de 2013

O que é ser homem?


Todas as minhas perguntas somente podem ser respondidas em Cristo Jesus.
Assim: Ser homem?! Essa pergunta também está respondida nEle. E Ele, deu sua vida para que, quem ele ama, possa viver. Isso é ser homem!

Ser homem é viver sob um lema e uma missão: Para que os outros possam viver!

É mais do que um apelo sentimental, muito mais do que uma demanda profissional ou social. É um chamado ardente e pulsante que nos arranca do chão e nos leva às nuvens todos os dias. É como uma chama nos consumindo por dentro (e por fora também): Para que outros possam viver!

Muitos homens da nossa geração não sabem como fazer isso, mas sentem isso arder dentro do peito. Incomodados, Desconfortáveis. Com um sentimento de sufocamento intermitente e crescente em suas gargantas: Para que outros possam viver!

Muitos homens estão mortos em seus pecados e suas necessidades, outros estão limitados por doenças e aflições, alguns se cansaram e exauriram com os falsos caminhos indicados pela modernidade. Ah queridos! Mas eu sei que a chama está lá, ainda que tímida. Uma palavra, um gesto, uma dor ou uma angústia profunda pode deflagrar o bendito processo incendiário. Nesses dias, alguns homens estão fugindo do incômodo dessa chama, pois se sentem fracos e incapazes. Para se livrar do incômodo se embebedam, se distraem, potencializam o prazer, mas na verdade o que eles desejam é ser consumidos por esta chama: Para que outros possam viver!

Esse é o projeto original de Aba!

A boa notícia é que podemos ajudar você, caso se sinta assim. Não porque sejamos moralmente superiores ou porque tenhamos a resposta, mas, unicamente pelo fato, de estarmos sendo conduzidos pelo homem que é o projeto original do Pai para resgatar outros: Jesus, o Cristo.

Apesar da laje de concreto que hoje está sobre alguns oprimindo seus peitos e drenando suas forças. Apesar da impossibilidade de mover um único músculo nessa direção, eu quero dizer que há esperança. Você só precisa pedir socorro! E o verdadeiro 'Anjo da Vida' virá a seu encontro e enviará toda sua equipe também, afinal, ele não trabalha sozinho.

Viva!
Deixe a chama arder!
Até que ela queime tudo aquilo que te sufoca!

DÊ UM GRITO!
BRADE COMO UM GUERREIRO NO ALTO DA MONTANHA!
Saia da inércia! Rompa as nuvens do céu com seu clamor!

Diga somente que deseja essa vida, mas diga para alguém que possa ouvi-lo.
Falar sem verbalizar isso para pessoas que podem, de fato, te ajudar não adianta muito.

Estamos aqui por que os amamos!
Sejam livres, em nome do Senhor Jesus!

quinta-feira, 19 de dezembro de 2013

EXTRAVAGANTE GRAÇA!!!


Como não se prostrar e adorar diante  de tão extravagante graça?
Que resposta dar a esta graça, senão um discipulado radical?

Verse 1
Verso 1
There’s a lot of pain but a lot more healing
Existe muita dor, mas muito mais cura.
There’s a lot of trouble but a lot more peace
Existe muita agitação, mas muito mais paz.
There’s a lot of hate but a lot more loving
Existe muito ódio, mas muito mais amor.
There’s a lot of sin but a lot more grace
Existe muito pecado, mas muito mais graça.

Chorus
Coro
Oh outrageous grace oh outrageous grace
Oh extravagante graça, oh extravagante graça.
Love unfurled by heaven’s hand
Amor desenrolado pela mão celestial.

Oh outrageous grace oh outrageous grace
Oh extravagante graça, Oh extrvagante graça.
Through my Jesus I can stand
Por meio de meu Jesus eu posso permanecer.

Verse 2
Verso 2
There’s a lot of fear but a lot more freedom
Existe muito temor, mas muito mais liberdade.
There’s a lot of darkness but a lot more light
Existe muita escuridão, mas muito mais luz.
There’s a lot of cloud but a lot more vision
Existe muita nuvem, mas muito mais visão.
There’s a lot of perishing but a lot more life
Existe muita morte, mas muito mais vida.

Bridge
Ponte
There’s an enemy
Existe um inimigo
That seeks to kill what it can’t control
Que deseja matar o que ele não pode controlar.
It twists and turns
Suas voltas e reviravoltas.
Making mountains out of molehills
Fazendo montanhas de casas de toupeira (tempestade em copo de água)
But I will call on my Lord
Mas eu chamarei meu Senhor.
Who is worthy of praise
que é digno de ser adorado.
I run to Him and I am saved
Eu corro para Ele e eu sou salvo.

quarta-feira, 18 de dezembro de 2013

Como se forja um amigo?

Como se forja um amigo?
O que é necessário pra se encontrar um tesouro como este?

Ao contrário do que a modernidade insiste em nos impor, amigos não são gerados pelo acaso, nem por empatia ou simpatia. Segundo o livro de provérbios de Salomão, amizade fraterna (mais que um irmão) é gerada na angústia compartilhada.

Nossos dias são marcados pelo combate veemente e indiscriminado à angústia. Ninguém deseja estar angustiado e, por isso, se cerca de recursos e distrações suficientes para que isso não os alcance, logo, a possibilidade de se gerar ou descobrir amigos verdadeiros é neutralizada.

Ao contrário do que o humanismo moderno nos ensina, amigos fraternos (mais que amigos e mais que irmãos) são fruto de minha decisão pessoal. Eu decido ser amigo de alguém e supri-lo no que ele necessitar. Isso nada tem haver com o suprimento de minha necessidade em primeiro plano.

Outra mentira comum é que só é possível haver amizade se houver reciprocidade. Segundo o Evangelho de João, no capítulo 3, versículo 16 é justamente o contrário. Eu desejo, fortemente, ser amigo de alguém e por isso eu dou o melhor do que eu tenho, sem esperar algo em troca.

Enquanto fomentarmos amizades com base em sentimentos e 'feeling' teremos relacionamentos superficiais e colheremos os frutos disso. Enquanto mantivermos relacionamentos com base em sentimentalismos e feridas pessoais ou com base em hierarquia sistemática, nada experimentaremos da Fonte de Água Viva.

Jesus nos orienta em Lucas 16, não à converter pessoas às nossas idéias, mas a fazer AMIGOS que nos recebam nas MORADAS ETERNAS.

Enfim, à exemplo de Cristo Jesus, amizade verdadeira passa por:
1. Eu decidir dar a minha vida em serviço ao meu amigo fraterno, independente da recíproca;
2. Eu decido manter-me fiel a esta amizade, mesmo quando meu amigo não for capaz de sustentá-la;
3. Eu decido negar meu conforto pessoal e me aproximar do outro e com isso construir (isso é lento, pois não é produzir) uma amizade.
4. Eu decido ver no Eterno o meu primeiro amigo íntimo e por causa desta amizade, me afeiçoo à outros.

Uma ótima tarde aos verdadeiros amigos que tenho feito,
No amor do nosso Primeiro amigo...
Erick Couto

terça-feira, 17 de dezembro de 2013

O URSO E A PANELA


Um grande urso, vagando pela floresta, percebeu que um acampamento estava vazio, foi até a fogueira, ardendo em brasas, e dela tirou um panelão de comida. Quando a tina já estava fora da fogueira, o urso a abraçou com toda sua força e enfiou a cabeça dentro dela, devorando tudo. Enquanto abraçava a panela, começou a perceber algo lhe atingindo. Na verdade, era o calor da tina...

Ele estava sendo queimado nas patas, no peito e por onde mais a panela encostava. O urso nunca havia experimentado aquela sensação e, então, interpretou as queimaduras pelo seu corpo como uma coisa que queria lhe tirar a comida. Começou a urrar muito alto. E, quanto mais alto rugia, mais apertava a panela quente contra seu imenso corpo. Quanto mais a tina quente lhe queimava, mais ele apertava contra o seu corpo e mais alto ainda rugia.

Quando os caçadores chegaram ao acampamento, encontraram o urso recostado a uma árvore próxima à fogueira, segurando a tina de comida. O urso tinha tantas queimaduras que o fizeram grudar na panela e, seu imenso corpo, mesmo morto, ainda mantinha a expressão de estar rugindo. 

A aplicação desta história é por demais simples e prática, desapegue, solte a panela e volte a viver...

O que tem te prendido e causado dor???

O que você abraçou com intensidade acreditando ser o que de melhor poderia haver e que agora está te matando?

Tem certeza de que o melhor à fazer é se apegar a esta situação??? Não seria a dor intensa um sinal claro de que o melhor é deixar que tirem a panela???

O apego a coisas e pessoas, nos leva a uma atitude irracional para manter aquilo que pensamos ser nosso, assim nos debatemos ate nos esgotarmos, quando  o melhor é entregar tudo nas mãos de Deus, e aguardar a Sua intervenção, assim poupamos muita dor e sofrimento desnecessário e podemos aprender em tudo.

Bem aventurados os mansos, porque eles herdarão a terra!!! Mt 5

O manso é alguém que entregou todos os seus direitos à Deus, não existe outra maneira de ser manso, senão entregando tudo ao Senhor.

Se mantivermos qualquer direito, toda vez que o direito for tocado, a nossa reação será de ira.

sexta-feira, 13 de dezembro de 2013

ARTE E BÌBLIA





Assisti a este vídeo, gostei muito da criatividade e da qualidade do mesmo. Estou postando como um estímulo ao pensamento acerca da arte e o que podemos desfrutar dela, se nos despirmos dos preconceitos religiosos a que temos nos sujeitado.
Aproveito para incluir algumas frases de Francis Schaeffer, um escritor do século passado, pensador profundo e de quem muito recebí através de livros, aliás altamente recomendáveis.

FRANCIS A SCHAEFFER – ARTE E BÍBLIA

“A ARTE TEM VALOR EM SI MESMA” – mesmo sendo óbvio, muitos cristãos não a reconhecem.

“A arte não é algo que meramente analisamos o valor por causa do seu conteúdo intelectual. É algo para ser desfrutado”.

“A arte tem valor porque a toda obra de arte representa um trabalho criativo e a criatividade tem valor porque Deus é criador. A criatividade tem valor porque Deus é criador”.

 “A arte faz parte da condição humana. A criatividade constitui um aspecto de distinção entre humano e não humano”.“A criatividade está intrínseca na nossa condição humana” .

“O criador repartiu talentos e habilidades entre todos os seres humanos”.“A arte tem valor como criação porque o homem é feita a semelhança de Deus e assim pode... criar”.

“O cristianismo e sua arte, podem encontrar o tema menor: o homem está perdido, e vive uma existência anormal”.

“A criação de Deus – as montanhas, as árvores, os pássaros e seus cânticos, o
homem a mulher e seu amor mútuo – representa um tema para arte não especificamente religiosa”.

“A arte cristã é a expressão da totalidade da vida da pessoa completa; é o homem total, totalmente considerado. O cristão tem de expressar em sua arte a totalidade da vida.”

“Não temos produzido arte cristã porque temos esquecido muito do que o cristianismo afirma acerca da arte e da criação de Deus”.

Assim, a pessoa que realmente ama a Deus, que trabalha sob o senhorio de Cristo, pode escrever sua poesia, compor música, confeccionar instrumentos musicais, esculpir estátuas, pintar telas - mesmo que ninguém jamais veja. Ela sabe que Deus vê.

A busca pela excelência também é uma maneira de louvar a Deus.

Portanto, a primeira razão para valorizarmos a criatividade é que Deus é o Criador. Em segundo lugar, uma obra de arte tem valor como criação porque o homem é feito à imagem de Deus e, portanto, pode não apenas amar, pensar e sentir emoções - ele tem também a capacidade de criar. Tendo sido feitos à imagem do Criador, somos chamados à criatividade...

...A criativida é intrínseca à nossa hominalidade.

A distinção é que Deus, por ser infinito, pode criar as coisas a partir do nada, por meio de sua palavra falada. Nós, por sermos finitos, conseguimos criar somente a partir de algo previamente criado.

O artista cristão deve ter sempre em mente a lei do amor em um mundo imerso na destruição.

quinta-feira, 12 de dezembro de 2013

SUBMISSÂO???


Fui muito edificado com a leitura do livro A Celebração da disciplina, pude compreender que as disciplinas cristãs muito longe de serem verdadeiras desmancha prazeres, são a maneira de desfrutarmos da plenitude do reino, assim como um atleta que quer ter o melhor desempenho e se disciplina em seus treinamento, também os discípulos são treinados pelas disciplinas e ele as se tornam motivo de celebração e não de reclamação.

Uma das mais controversas disciplinas no nosso tempo é a da submissão, alguns arrepiam e tem calafrios só da menção desta palavra, mas se compreendermos melhor os benefícios que a submissão bíblica nos traz e o que ela significa de fato, certamente nos animaremos a praticá-la.

“O cristão é o mais livre de todos os senhores e não é sujeito a ninguém; o cristão é o mais humilde de todos os servos e está sujeito a todo mundo”. M Lutero

O que a submissão produz?

-Liberdade da terrível carga de sempre necessitar que as coisas sejam feitas do nosso jeito,
-Liberdade para entender que a maioria das coisas não são tão importantes.
-Liberdade para valorizar outras pessoas e trata-las com um espírito de consideração e     deferência.
-Liberdade para abrir mão dos nossos próprios direitos para o bem do próximo.
As divisões e separações normalmente ocorrem por não querermos ceder e reconhecer os demais.

Como é possível submeter-se?
-Mc 8:34 Negando a si mesmo.

Negar a si mesmo;
-É diferente de odiar a si mesmo.
-É Condição para a submissão
-Não é perda de identidade (ex Jesus, Pedro, Paulo)
-Não é desdenhar-se (sem valor)
-É simplesmente entender que NÃO TEMOS QUE FAZER A NOSSA PRÓPRIA VONTADE.
-Significa a liberdade de submeter-nos a outras pessoas e considera-los acima dos nossos interesses.
-Quando as coisas acontecem de modo contrário à nossa vontade e não praticamos a auto negação surge a auto piedade, espírito crítico, e outros males.

Por que nos submetermos?

Porque Cristo se submeteu nos dando exemplo e ordenando que façamos o mesmo.
Fp 2:5-8 Tende em vós o mesmo sentimento....
Hb 5:8     Ele aprendeu a obediência....
Jo  4:34   A minha comida...

O que é submissão?

-É  espontânea e alegremente considerar o outro superior a mim mesmo e buscar o seu interesse antes do meu.
-Prestar obediência inteligente à autoridade estabelecida.
-Aprender a agradar aquele a quem se está sujeito.
-Renunciar a meus pareceres quando se opõem à orientação daqueles a quem estamos sujeitos, desde que não sejam contrários à Palavra de Deus.

Submissão não é:
-Mera obediência exterior, mas a manifestação de um espírito submisso.
-Estar submisso somente quando estou sendo visto.
-Ser constrangido , forçado a sujeitar-se.
-Uma lista de conduta apropriada.
-Apenas obedecer à palavra de alguém, mas é uma disposição de vida que considera que o mundo não gira ao seu redor, mas que a finalidade da vida é  primeiro agradar ao Senhor em tudo (Ele é o sol).

A quem submeter?

1- A Deus Pai, Filho e Espírito Santo.
2- À Palavra de Cristo Jo 10;27, Mt7;24-29
3- À família  Ef5;22 (buscar o bem do outro)
4- À Igreja: Pastores Hb13;17, IPe 5;5
                           Aos que presidem, guiam e ensinam. ITs5;12-13
                           Uns aos outros Ef5;21,Rm12;10
5- Às autoridades em geral Rm13 IPe 3
6- Aos necessitados e ao mundo (cosmos)

segunda-feira, 9 de dezembro de 2013

TUTOR OU MENTOR???







Se voltarmos à origem da criação do homem (Gn 1;26,27), veremos que Deus lhe deu domínio sobre: as aves do céu, os peixes do mar, os animais que rastejam, os animais que andam sobre a terra, sobre toda a terra. Em nenhum momento foi a intenção de Deus dar ao homem o domínio sobre outros homens, observe o irmão ao teu lado; ele tem penas? Garras? Escamas? Rasteja pelo chão? Então, não nos foi dado domínio sobre ele.

O propósito de prestarmos conta de nossas vidas, é de sermos ”mentoreados”, e não “tutelados” . Um mentor deseja que seu mentoreado aprenda a pensar e decidir por si mesmo e que busque a quem for necessário para o seu pleno amadurecimento. O tutor decide tudo por seu tutelado,  pois o mesmo é incapaz de decidir por si mesmo. Se algo não der certo a responsabilidade total é do tutor... alguém que é tutelado será sempre irresponsável e um peso ao seu tutor. O processo de mentorear é libertador para ambos, discípulo e mestre, pois aponta alternativas, ensina a usar o mapa, e não determina o caminho para outro.

Tutelar pessoas que não são incapazes, de fato, de cuidar de si mesmas, é um caminho certo para inúmeras frustrações e aberrações na vida, um vínculo de dependência doentio é estabelecido e os relacionamentos se tornam cheios de expectativas frustradas, cobranças, subjugo, às vezes até verdadeiros abusos são cometidos. 

A tentativa de tutelar um ser humano adulto, no pleno uso de suas faculdades mentais e físicas, é um caminho certo para provocar a sua ira, mais dia ou menos dia, ele se insurgirá contra esta dominação e seus “tutores” o tacharão de rebelde, ou se tornará um imprestável a qualquer coisa que requeira criatividade, iniciativa, voluntariedade, disposição própria, e seus “tutores” o tacharão de indolente.

sexta-feira, 6 de dezembro de 2013

VOCÊ AMA A SUA MULHER???


Ouvi esta música um dia destes no rádio do carro, e pela primeira vez me detive para entender a letra, me surpreendi, o autor demonstra ter compreendido que amar é buscar o bem do outro, e não o seu próprio bem.
Na primeira estrofe ele diz, "dar-lhe asas quando ela quiser voar"... é fomos unidos para "voarmos" juntos, não amarrados e menos ainda para cortar as asas um do outro, a união de duas pessoas deveria sempre resultar em uma unidade muito maior do que a mera soma de duas personalidades, a união verdadeira gera um potencial que é uma exponencial, a única limitação real é a que existe em nossas mentes.
"Você diz que ele é única... porque ela precisa de alguém que lhe diga que estará sempre junto..."
Penso que se seguirmos estas dicas simples com aquela que elegemos para ser nossa companheira por toda a vida, viveremos uma vida mais intensa em nossas casas, seremos todos mais felizes e irradiaremos o amor de Deus aos que estão ao nosso redor.



Have You Ever Really Loved A Woman?

To really love a woman, to understand her
You've got to know her deep inside
Hear every thought, see every dream
And give her wings when she wants to fly
Then when you find yourself lying
Helpless in her arms
You know you really love a woman

CHORUS:
When you love a woman
You tell her that she's really wanted
When you love a woman
You tell her that she's the one
'Cause she needs somebody to tell her
That it's gonna last forever
So tell me, have you ever really
Really, really ever loved a woman?.

To really love a woman, let her hold you
'Til you know how she needs to be touched
You've got to breathe her, really taste her
'Til you can feel her in your blood
And when you can see your unborn children in her eyes
You know you really love a woman.

CHORUS:
When you love a woman
You tell her that she's really wanted
When you love a woman
You tell her that she's the one
'Cause she needs somebody
To tell her that you'll always be together
So tell me have you ever really
Really, really ever loved a woman?

You've got to give her some faith
Hold her tight, a little tenderness
You've got to treat her right
She will be there for you, taking good, care of you
You really gotta love your woman, yeah.

And when you find yourself lying helpless in her arms
You know you really love a woman.

CHORUS:
When you love a woman,
You tell her that she's really wanted.
When you love a woman,
You tell her that she's the one.
She needs somebody
To tell her that it's gonna last forever.
So tell me, have you ever really
Really, really ever loved a woman? yeah
Just tell me, have you ever really
Really, really ever loved a woman?
Oh! Just tell me, have you ever really
Really, really ever loved a woman?

Você Realmente Já Amou Uma Mulher?

Para realmente amar uma mulher, para compreendê-la
Você precisa conhecê-la profundamente por dentro
Ouvir cada pensamento, ver cada sonho
E dar-lhe asas quando ela quiser voar
Então, quando você se achar repousando
Desamparado nos braços dela
Você saberá que realmente ama uma mulher...

Refrão:
Quando você ama uma mulher
Você lhe diz que ela, realmente, é desejada
Quando você ama uma mulher
Você lhe diz que ela é a única
Pois ela precisa de alguém
Para dizer-lhe que vai durar para sempre.
Então diga-me: você realmente, realmente
Realmente já amou uma mulher?

Para realmente amar uma mulher, deixe-a segurar você
Até que você saiba como ela precisa ser tocada
Você precisa respirá-la, realmente saboreá-la
Até que você possa senti-la em seu sangue
E quando você puder ver, seus filhos que ainda não nasceram dentro dos olhos dela
Você saberá que realmente ama uma mulher

Refrão:
Quando você ama uma mulher
Você diz a ela o quanto ela é desejada
Quando você ama uma mulher
Você diz a ela, que ela é a única
Porque ela precisa de alguém
Para dizer a ela, que você irá estar sempre junto
Então me diga, você realmente
Realmente, realmente já amou uma mulher?

Você precisa dar-lhe um pouco de fé
Segurá-la bem apertado, um pouco de ternura
Precisa tratá-la bem
Ela estará perto de você, cuidando bem de você
Você realmente precisa amar sua mulher. Yeah.

E quando você se achar repousando, desamparado nos braços dela
Você saberá que realmente ama uma mulher.

Refrão:
Quando você ama uma mulher,
Você diz a ela que ela é realmente desejada
Quando você ama uma mulher,
Você diz a ela, que ela é a única.
Porque ela precisa de alguém
Para dizer a ela, que você irá estar sempre junto.
Então me diga, você realmente
Realmente, realmente já amou uma mulher? Yeah
Somente me diga, você realmente
Realmente, realmente já amou uma mulher?
Oh! Somente me diga, você realmente
Realmente, realmente, já amou uma mulher?

quinta-feira, 5 de dezembro de 2013

A MAIORIA DE NÒS TEM INTERPRETADO MAL A VIDA



Tradução livre do texto de Jhon Eldredge . Most of us have been misinterpreting life. 
Diante de algumas notícias que tem nos afligido ultimamente, achei oportuno repartir isto.

A maioria de nós têm tido uma  má interpretação da vida e do que Deus está fazendo por um longo tempo."Eu penso que estou apenas tentando fazer com que  Deus faça minha vida de trabalho mais fácil", um cliente meu confessou, mas ele poderia ter falado pela maioria de nós. Nós estamos fazendo as perguntas erradas. A maioria de nós está se perguntando: "Deus, por que você deixou isso acontecer comigo?" Ou: "Deus, por que você não apenas ________" (preencher o espaço em branco: me ajuda a ter sucesso, endireita meus filhos, corrige o meu casamento, você sabe o que você está reclamando). Mas, entrar em uma jornada de iniciação com Deus exige  um novo conjunto de perguntas: O que você está tentando me ensinar aqui? Quais as questões no meu coração que você está tentando levantar por meio  disso? O que é que você quer que eu veja? O que você está me pedindo para deixar ? Na verdade, Deus tem tentado iniciá-lo por um longo tempo. O que está no seu caminho, é a  maneira como você tratou mal a sua ferida e a  vida que você construiu como resultado.
"Os homens são ensinados mais e mais quando eles são meninos que uma ferida que dói é vergonhosa", observa Robert Bly em Iron John (João de Ferro) . Como um homem que quebrou a perna em uma maratona, ele termina a corrida, mesmo se ele tiver que rastejar e ele não diz
 uma palavra sobre isso. Um homem não deveria se machucar, ele certamente não deveria permitir que  isto  o afetasse realmente. Temos visto muitos filmes em que o mocinho leva uma flechada, somente quebra a flecha, e continua lutando, ou talvez ele leva um tiro, mas ainda é capaz de saltar através de um canyon e abater os bandidos. E assim, a maioria dos homens minimiza sua ferida. Rei Davi (um cara que dificilmente seria um  fraco) não agiu assim de forma nenhuma. "Eu sou pobre e necessitado," ele confessou abertamente ", e meu coração está ferido dentro de mim" (Sl 109:22).
Ou talvez eles vão admitir que algo aconteceu, mas negarão que foi uma ferida por causa de sua reputação. Suck it up (engula esta), como diz o ditado. A única coisa mais trágica do que a tragédia que nos acontece é a nossa forma de lidar com isso.

sexta-feira, 29 de novembro de 2013

Indicação de Livros

Coração Selvagem - John Eldredge

Excelente leitura, o autor aborda o assunto da masculinidade de forma surpreendente, à partir da premissa de que todo homem precisa ter uma batalha para lutar, uma aventura para viver e uma bela para resgatar.
Analisando estes temas vai descrevendo a trajetória dos homens em busca de sentido para a vida e apresenta respostas concretas aos anseios da alma masculina.
Indicado também para mulheres que queiram compreender melhor a alma masculina.

A Grande aventura masculina- John Eldredge.

Neste livro o autor descreve seis etapas da jornada de  homem, desde o seu nascimento, até a sua maturidade plena.
Numa linguagem simples e com várias histórias que complementam o assunto, nos ajuda a encontrar pontos em que saltamos etapas em nossas vidas e que prejudicam a nossa jornada. 
Altamente indicado a quem esta na tarefa de educar outros homens 

A volta do filho pródigo- Henry Nouwen

Não saberia escrever em poucas linhas o impacto deste livro em minha vida, uma abordagem extremamente sensível e prática da parábola de Jesus, com aplicações imediatas para qualquer pessoa. Impossível ler e não se sentir mais atraído pelo amor do Pai.

Negócios como missão - Michael R Baer

Uma abordagem bíblica dos negócios como um chamado de Deus para a vida de seus filhos, muita clareza na abordagem do assunto e uma visão que pode transformar a vida daqueles que se sabem chamados por Deus para os negócios.

Negócios à luz da bìblia - Larry Bourquet

Um "guia" bastante prático para pessoas que estão ou querem estar no mundo dos negócios, orientações bem fundamentadas na Bíblia, acerca de dívidas, sociedade, conduta no mercado, motivos para continuar ,os cuidados com a vida familiar, contratação de pessoal, cobranças, etc...

Conexões em tempo real - Bob Roberts Jr

Atualíssimo o autor aborda o tema de aproveitar as conexões que temos em nosso dia a dia e estabelecer uma rede de contatos com o propósito de estender o Reino de Deus, linguagem simples e direta, com muitos testemunhos.

Coloque um ponto final - Henry Cloud

O autor parte da observação do processo da poda dos vegetais e sua aplicação no dia a dia das pessoas, extremamente prático e direto, pode ajudar a realinhar a vida e descartar os pesos desnecessários que insistimos em carregar, fui muito impactado pela mensagem.

Unidades básicas do corpo de Cristo - Ralph Neighbour Jr.


Uma descrição do funcionamento da igreja em suas unidades básicas (células) nas casas, mostra com inúmeros testemunhos atuais, como a igreja se move, à partir do Cristo que habita em cada um de seus membros e a abundância de vida decorrente deste mover. Uma visão transformadora da realidade...



quarta-feira, 27 de novembro de 2013

A ATITUDE DE QUEM RECEBE DETERMINA A RECOMPENSA.


.


Mateus
10.40   Quem vos recebe a mim me recebe; e quem me recebe, recebe aquele que me enviou.


10.41   Quem recebe um profeta, no caráter de profeta, receberá o galardão de profeta; quem recebe um justo, no caráter de justo, receberá o galardão de justo.


10.42   E quem der a beber, ainda que seja um copo de água fria, a um destes pequeninos, por ser este meu discípulo, em verdade vos digo que de modo algum perderá o seu galardão.

A honra é dada por aquele que recebe, não pelo que doa. Posso estar diante do ser mais aclamado em todo o mundo, mas se em meu interior eu tiver reservas e não considerá-lo digno de ser ouvido, perderei o seu “galardão”. Qual é o galardão do profeta? A profecia, se não ouço com bons ouvidos, a mais linda e poderosa mensagem, para mim não significará nada... embora outros possam ficar maravilhados com a mesma...

O mesmo acontece com o justo e o pequenino, quem os recebe, recebe do Cristo que neles está, e este é o galardão a que tem direito.

Existe um mau hábito mortífero no meio das comunidades, refiro-me àquele acréscimo que fazemos a um comentário positivo, aquela pequenina palavra de três letras, “mas”... vou exemplificar; quando comentamos acerca de algo ou alguém e falamos maravilhas a seu respeito e acrescentamos estas palavra “mas”, anulamos tudo o que foi dito anteriormente e assim fechamos nossos ouvidos e o daqueles que nos ouvem e ficamos impossibilitados de receber o galardão que nos foi enviado por meio daquele de quem estamos falando...

Mais explicitamente: a palavra de fulano foi uma bênção, mas..., cicrano é um homem de Deus, mas..., o livro que eu li é fantástico, mas... ou seja em inúmeras situações fazemos isto e ao fazê-lo derrubamos tudo de bom que disséramos anteriormente. O pior de tudo é quando desfrutamos de algum conceito mais elevado entre as pessoas esta palavra tem um poder maior, e assim impedimos outros de receberem o galardão a que teriam direito!

O mais grave é que normalmente este “mas” vem acompanhado com um ar de preocupação com a pureza doutrinária, ou ainda com um cuidado pela vida daqueles a quem estamos falando, certa piedade religiosa, e na maioria das vezes é mera proteção de nosso ego e de nossas opiniões. Já me vi utilizando isto para me projetar e diminuir o outro, de forma mais sutil.

O apóstolo Paulo nos anima a ouvir todas as coisas e a reter o que é bom , a conferir o que é dito com as escrituras, como os de Beréia, mas jamais somos aconselhados a termos um espírito crítico antes mesmo de ouvir e ver o que outros tem a oferecer.

A atitude crítica fecha nossos olhos e ouvidos a tudo que é diferente de nós mesmos, impede-nos de sermos agraciados com o galardão de outros, estejam eles acima, ao lado ou abaixo de nós... quem sai perdendo é quem deixa de receber. O doador não é em nada diminuído por nossa atitude,  ele continua sendo profeta, justo ou pequenino independente do que pensemos ou façamos.


Por outro lado, estando nós em Cristo, se alguém deixa de nos receber, isto não nos diminui em nada, não precisa nos ofender. Aquele que nos recebe, recebe a Cristo, e quem recebe a Cristo, recebe aquele que o enviou, e pasmem; tudo isto acontece ao nos receberem!!!

segunda-feira, 25 de novembro de 2013

CONSIDERAÇÕES SOBRE O JUGO

Para quem não sabe, jugo é esta peça de madeira que está sobre o pescoço dos dois animais, ele é utilizado para domar os animais e utilizar a sua força para a realização de trabalhos como , arar a terra, transportar coisas, moer cana etc...

-Tomar sobre si o jugo é algo totalmente diferente de subjugar, quando eu tomo o jugo,Isto é uma decisão minha, quando sou subjugado, isto é uma imposição de outrem.(ex quando sou vencido em uma batalha).
-O jugo é um instrumento necessário à realização de determinadas tarefas, ele potencializa a ação do ser, aquilo que não se poderia realizar sozinho, quando ligado a outra pessoa pode ser devidamente realizado.
-Um jugo tomado por livre decisão, jamais deverá se tornar em um subjugar pelo outro (não posso me aproveitar da disposição do outro em tomar o jugo comigo).
-Quando Jesus falou de seu jugo, fez uma contraposição direta ao jugo da lei, que de tão pesado, ninguém era capaz de suportar, e ficava cansado e sobrecarregado na tentativa de levá-lo.  O jugo do Cristo ao contrário é apresentado como suave e o fardo leve, isto se deve ao fato de que Ele mesmo estava levando o jugo e o fardo, além do que ninguém seria forçado por Ele a tomar o jugo, somente aqueles que compreendessem o Seu chamado e quisessem segui-lo teriam de fazê-lo, jamais por imposição, mas por amor.
-O jugo de Cristo é tomado por livre decisão (quem quiser vir após mim...), jamais imposto, se não aceito as condições, não preciso tomar o jugo, se aceito o jugo não há como me livrar das condições...
-O jugo no casamento é tomado por duas vontades livres, que se dispõem a unirem-se para alcançarem o propósito de Deus, ao assumir o jugo, aceitam-se as condições (submissão, respeito, amor incondicional, honra, perdão, unidos até que a morte os separe...), não há nenhum sentido em querer mudar as regras depois.
-Se alguém não aceita as condições, que não se case, dê ao relacionamento que tem qualquer outro nome, jamais de casamento. (quem sabe um bom nome fosse pirlimpimpim...)
-Colocar a si mesmo sob jugo desigual é o mesmo que colocar a trabalhar em um mesmo jugo animais de natureza diferente, isto jamais funcionará, os ritmos são diferentes, a natureza é diferente, ambos sairão feridos...
-O jugo igual no casamento refere-se a pessoas que tenham a mesma natureza, ou seja, ambos pertencem à Cristo e em sujeição à Ele, já aprenderam o que é tomar livremente um jugo.
-Não temos o direito de mudar as regras no meio do caminho, ao tomar o jugo no casamento, as regras já estão previamente estabelecidas pelo Senhor.
-O jugo existe para aumentar a capacidade de ambos, não para opressão um do outro.

-Paulo nos adverte em II Co 6;14 ( Não vos ponhais em jugo desigual com os incrédulos; porquanto que sociedade pode haver entre a justiça e a iniqüidade? Ou que comunhão, da luz com as trevas?) a não nos colocarmos em jugo desigual, além do óbvio jugo desigual entre luz e trevas, também podemos nos colocar em jugos nos quais os objetivos, projetos de vida, comprometimento, chamamentos, são tão diversos que nos causam enormes problemas. Vemos isto com frequência em sociedades comerciais, onde ajuntam-se pessoas apenas pelo objetivo de aproveitar uma boa ideia e fazer um bom dinheiro, esquecendo-se de observar outros pontos fundamentais: visão, disposição, disponibilidade, prioridades pessoais, etc... o que a médio e longo prazo certamente causará desgastes. como andarão dois juntos se não há acordo entre eles??? Amós 3:3

sexta-feira, 22 de novembro de 2013

AMARGURA

Uma breve meditação sobre a amargura e suas consequências.

Atos 8:9-25

Após serem dispersados de Jerusalém, os discípulos chegam a Samaria e realizam-se sinais e prodígios por meio deles.
Simão, um “mágico”, que havia enganado o povo abraça a fé e é batizado, passa a seguir os apóstolos, fica maravilhado ao ver como o Espírito Santo era repartido pela imposição de mãos. Tenta então comprar o dom de Pedro e João.

Vejamos alguns pontos:

Simão;
Era um mágico conhecido do povo.
Como mágico estava habituado a pagar para conhecer novos truques.
Como mágico também conhecia esta prática de liberar poder pela imposição de mãos.
Perdeu prestígio junto ao povo e sua fonte de renda com a chegada de Felipe.
Percebeu que não havia truques nas práticas de Pedro.
Sua mente não havia ainda sido renovada, quis obter poder de Deus da mesma maneira que conseguira seus truques.

Resposta de Pedro;

O teu dinheiro seja contigo para perdição.  v20
Não tens parte neste ministério... porque teu coração não é reto...  v21
Arrepende-te, havia no coração de Simão:
         Maldade, desejo pelo mal
         Fel de amargura devido a rejeição, perda do lucro, perda de posição ou outro motivo...
         Laço de iniquidade (pecado) querer ter mérito diante de Deus.

Observemos que Pedro não se deteve na superfície do problema, foi direto à raiz, desmascarando o que estava por detrás da proposta de Simão. Tampouco se ofendeu ou tomou para si as dores, nem ofendeu a Simão.

A amargura é a porta de entrada para a atuação de espíritos malignos e outros pecados na vida .

Ela contaminada todo o corpo (físico e espiritual) Hb 12:15 ela é uma raiz. Normalmente não se vê a raiz, porém com o tempo brotará.

Ef 4:31( amargura, cólera, ira,gritaria, blasfêmias, malícia). Há uma progressão quando a amargura se instala, e vai causando irritação, ira, gritos (xingamentos, exasperação), blasfêmia ( atribuir à pessoa aspectos negativos que ela não tem) até a ação com a intenção de causar danos à outra pessoa (malícia).

Ef 4:32 o perdão é a única forma de eliminar a raiz de amargura. Perdoar é deixar para Deus o direito de revanche.

Sentimentos amargurados originam inúmeros problemas espirituais, emocionais e físicos.

Pessoas se desviam da fé.
Pessoas deixam caminho aberto ao engano.
Pessoas ficam à mercê de espíritos malignos.
Pessoas causam divisão no corpo de Cristo.
Pessoas revidam ao mal.
Pessoas tem dificuldade nos relacionamentos.
Pessoas se fecham a todo tipo de ajuda.
Pessoas se inclinam ao pecado.
Pessoas vivem como se fossem auto-suficientes.
Pessoas abortam relacionamentos.
Pessoas sentem-se feridas e justificam tudo que fazem.
Pessoas abandonam a comunhão dos santos. Etc....

Na verdade já vi pessoalmente cada um destes exemplos acima e ainda outros, que tem a mesma causa: AMARGURA.
Precisamos com urgência extirpar de nossas vidas toda e qualquer raiz de amargura , pois ela irá enredar-nos por completo se não for extraída.

Dt 29:18 A amargura é decorrência de seguir outros deuses.....
                Amargura é idolatria!!!!!

Na verdade Egolatria.... adoração de si mesmo, ao cultivar um espírito de coitadinho e injustiçado, sem disposição de perdoar e ser curado.

segunda-feira, 18 de novembro de 2013

COMUNHÃO


Este é um breve resumo de um excelente livro de Dietrich Bonhoeffer, chamado vida em comunhão, espero que contribua para o esclarecimento do que é verdadeiramente comunhão, este maravilhoso relacionamento das pessoas por meio de Cristo.

Comunhão
Salmos
133 - 1   [Cântico de romagem. De Davi] Oh! Como é bom e agradável viverem unidos os irmãos!

133 - 2   É como o óleo precioso sobre a cabeça, o qual desce para a barba, a barba de Arão, e desce para a gola de suas vestes.

133 - 3   É como o orvalho do Hermom, que desce sobre os montes de Sião. Ali, ordena o SENHOR a sua bênção e a vida para sempre.

Não é óbvio que a pessoa cristã viva entre cristãos. Jesus Cristo viveu em meio a seus adversários. Por fim, todos os discípulos o abandonaram. Na cruz, ele esteve em  total solidão, cercado de malfeitores e zombadores. Foi para isso que ele veio: para trazer a paz aos inimigos de Deus. Assim também o lugar do cristão não é a reclusão da vida monacal, mas em meio aos inimigos. É ali que está a sua missão, sua tarefa. “O Reino tem de ser estabelecido em meio aos teus inimigos. Quem não quiser se sujeitar a isso não quer ter parte no Reino de Cristo, mas quer viver cercado de amigos, viver em um mar de rosas, na companhia de gente piedosa, jamais de gente má. Ó blasfemadores de Cristo! Se Cristo tivesse agido como vocês, quem teria se salvo?” (Lutero)
Comunhão cristã é comunhão por meio de Cristo, pertencemos uns aos outros apenas e tão somente por meio de Cristo.

o que significa:
1-    Um cristão precisa do outro por amor a Cristo.
2-    Um cristão  só consegue chegar ao outro por meio de Cristo.
3-    Fomos eleitos desde a eternidade, aceitos no tempo e unidos para a eternidade em Jesus Cristo.

Fraternidade cristã não é um ideal, mas uma realidade divina.

Fraternidade cristã é uma realidade espiritual e não psíquica.
Não é um ideal que nós devêssemos construir. Mas uma realidade criada por Deus, em Cristo, da qual podemos tomar parte.

A Diferença entre as realidades psíquica (anímico) e espiritual (pneumos):
                       
Comunhão


      
ESPIRITUAL =PNEUMOS
ANÍMICO = PSÍQUICO
Definição

As  coisas criadas só pelo Espírito Santo, que implanta Cristo como Senhor em nossos corações.
As coisas que procedem dos instintos, das forças e faculdades naturais da alma humana.

Fundamento
Palavra de Deus clara e revelada em Jesus Cristo.
Estímulos e os anseios obscuros e turvos da alma humana.
Essência
Luz  (I Jo 1;5 - I Jo 1;7)
As trevas (Mc 7;21). É a noite escura que paira sobre a atividade humana e de modo especial, também sobre os nobres e  piedosos impulsos.
De  quem
Das pessoas chamadas por Cristo.
Das almas piedosas.
Vida
O radiante amor do serviço fraternal, o Ágape
Arde o amor obscuro do impulso ímpio piedoso, o Eros.

Serviço fraternal ordenado.
O desejo desordenado por prazer.

Submissão humilde entre os irmãos.
Submissão humilde – orgulhosa dos irmãos aos próprios desejos.

Reina a Palavra de deus somente.
Ao lado da Palavra, reina também a pessoa dotada de poderes, experiências e capacidades sugestivo-mágicas especiais.

O que liga é somente a Palavra de deus.
Além da Palavra, também a pessoa se liga a si mesma.

Todo o poder , honra e domínio estão entregues ao espírito Santo.
São buscadas e cultivadas esferas de poder e influência pessoais, com certeza, à medida que se trata de pessoas piedosas, na intenção de servir ao maior e melhor, mas na verdade, para derrubar do trono o espírito santo e empurrá-lo a uma distância irreal. Aqui reina apenas o anímico.

Reina o Espírito.
Reina a técnica psicológica, o método;

Reina o amor serviçal, ingênuo, pré psicológico, pré metódico pelo irmão.
Reina a análise e a construção psicológica.

Serviço humilde e criativo ao irmão.
O tratamento investigador, calculista de pessoas estranhas.

Relacionamento intermediado por Cristo.
Relacionamento  imediato.  

CONVERSÃO ANIMICA.    
Manifesta-se com todos os sinais de uma conversão autêntica.
Pessoas ou comunidades inteiras são abaladas profundamente e  fascinadas pelo abuso consciente ou inconsciente do excesso de poder de uma pessoa. Neste caso, uma alma agiu diretamente sobre a outra alma. O forte venceu o fraco, a resistência do  mais fraco cedeu sob a pressão da personalidade do outro. O fraco foi violentado, mas não foi convencido da coisa. Isto fica claro no momento em que se exige dele um empenho pela causa, que precisa acontecer independente da pessoa a qual está ligado, ou até em oposição a ela. Aqui, a pessoa animicamente convertida fracassa, revelando que sua conversão não foi obra do Espírito Santo, mas de uma pessoa , e que por isso não subsiste.

AMOR ANÍMICO.
É capaz de sacrifícios mais incríveis, e , muitas vezes, supera em muito o  legítimo amor Cristão devido a sua dedicação ardorosa e seus êxitos evidentes, fala a linguagem cristã com eloqüência imponente e arrebatadora. I Co13: 1-3
Ama a outra pessoa por amor a si mesmo; por esta razão procura o contato imediato com o outro, não o ama em sua liberdade, mas como aquele que está preso a ele.
Quer ganhar a todo o custo, conquistar, assediar o outro, quer ser irresistível, quer dominar.
Não dá valor à verdade, relativiza-a, porque nada, nem mesmo a verdade, deve perturbar a relação com a pessoa amada.
Deseja o outro, sua comunhão, seu amor, mas não lhe serve. Ao contrário,antes o  deseja também quando parece estar servindo.
Não suporta que se dissolva a comunhão que se tornou mentirosa por amor à verdadeira comunhão; não consegue amar o inimigo, aquele que se opõem com seriedade e tenacidade.
É desejo por natureza, desejo por comunhão anímica. Enquanto puder  satisfazer, de alguma forma, este desejo, ele não desistirá, nem por amor à verdade, nem por amor ao verdadeiro amor ao outro. Porém quando não puder mais esperar pela realização do seu desejo, este será o seu fim. Ele se transformará em ódio, desprezo e calúnia.
Transforma-se em ódio pessoal ao encontrar-se com o amor espiritual.
Tem em si mesmo sua meta, sua obra, seu ídolo que ele adora, ao qual tudo deve estar  sujeito.
Cuida, cultiva e ama a si mesmo e nada mais no mundo. Jamais poderá compreender o amor espiritual.
Cria sua própria imagem a respeito do outro, do que ele é e do que deverá se tornar.
Vive do desejo obscuro incontrolado e incontrolável;
Produz escravidão humana, dependência, constrangimento, germina flores artificiais , de estufa.

AMOR ESPIRITUAL
Relaciona-se com o outro por meio de Cristo.
Somente Cristo me dirá por Sua palavra o que é amor.
Está ligado exclusivamente à palavra, onde Cristo ordenar manter a comunhão, eu a manterei, onde ordenar dissolver, eu a dissolverei.
Não deseja, mas serve, ama o inimigo como a um irmão.
Nasce não do irmão nem do inimigo, mas de Cristo e Sua palavra. Vem do alto, é novo , incompreensível.
Não deseja comunhão direta com o outro, têm –na por meio de Cristo.
Liberta o outro de todas as tentativas de dominá-lo, determiná-lo e coagi-lo  com meu amor.
Encontra-se com o irmão apenas como aquele que ele já é em Cristo. Reconhece a verdadeira imagem do outro a partir de Cristo.
Em tudo o que fala ou faz recomendará o outro a Cristo.
Não tenta provocar abalo psíquico do outro por meio da influência, por meio da interferência impura na vida do outro.
 Irá ao encontro do outro com a Palavra de Deus, disposto a deixá-lo sozinho por longo tempo com a Palavra. Livre para que  Cristo aja nele.
Respeita os limites do outro colocados entre nós por Cristo.
Fala mais com Cristo sobre o irmão do que com o irmão sobre de Cristo.
Produz frutos que se desenvolvem a céu aberto de Deus, sob chuva tempestade e sol, sadios, como agrada a Deus.

CONSIDERAÇÔES
Uma vida em comum sob a Palavra de Deus só permanecerá saudável quando se revelar não como movimento, ordem, associação, collegium pietatis, mas quando se compreender como parte da uma, santa e universal igreja cristã, onde ela participa, atuando e sofrendo, do sofrimento, da luta e da promessa de toda a igreja.
Uma vida em comunhão estritamente espiritual não é apenas perigosa, mas também um fenômeno totalmente anormal.
Estamos unidos na fé, não na experiência.

Somente através dele temos acesso uns aos outros, alegramo-nos e temos comunhão uns com os outros.

FORÇA X CÃS

Força x cãs   Muitas vezes ouvi de meu pai a seguinte frase; ah... se eu tivesse hoje a sua idade, com a...