segunda-feira, 16 de junho de 2014

MENSAGEM E MENSAGEIROS



Por mais importante que seja a mensagem, o espírito do mensageiro afeta irremediavelmente a mesma. 

Tão ou mais importante que a mensagem em si mesma, é a maneira que ela é transmitida, na verdade a mensagem e o mensageiro deveriam se fundir em um só para que se alcance a plenitude do que se quer transmitir, podemos ler um texto magistralmente, com todas as técnicas de representação disponíveis, mas se não estivermos tomados pelo espírito da mensagem, seremos como sinos soando, quanto maiores e mais ocos, maior o barulho, mas não tem conteúdo, passado o momento, as impressões que tivemos se vão com ele...

Por isto não adianta repetirmos como papagaios a fala de outros, enquanto esta não for a nossa própria fala, aquilo que nos lábios de outro é pura poesia e música, nos lábios de alguém que ainda não foi tomado pela mensagem, se torna enfadonho , sem vida, parece uma representação, podendo até mesmo distorcer completamente o sentido da mensagem original. 

Ao terminar a sua fala no monte, as multidões se maravilharam com Jesus, pois ele as ensinava como quem tem autoridade, e não como os escribas e fariseus, a mensagem e o mensageiro haviam se fundido, não podia haver separação, o verbo se fizera carne, a carne manifestava o verbo, sem separações, sem divisões, impossível ver um sem ver o outro.

Houve um tempo entre o povo de Israel em que os profetas roubavam a profecia uns dos  outros e diziam serem suas, nenhum problema em repetir a profecia, há muitas delas que são realmente divinas e quanto mais forem repetidas melhor para todos, mas a fonte necessita ser reconhecida.

Certa vez ouvi dizer que no passado  aquele que trazia uma mensagem da parte do rei, deveria ser capaz de expressar as emoções do rei ao dar a mensagem, certificando assim que o que fora dito seria entregue na mesma intensidade do momento em que fora ordenado. Afinal a ênfase dada no momento da fala altera totalmente a compreensão da mensagem.

Não estou aqui falando de técnicas de discursos e apresentações, digo da mensagem que é a própria vida do mensageiro, aquela que tomou o seu coração a tal ponto que o mensageiro já não pode fazer mais nada, senão abrir a sua boca e deixar que a mensagem flua, aliás não apenas a sua boca, mas todo o seu ser cooperará juntamente para a transmissão de tão importante mensagem.

Ah!!! que coisa boa é ouvir a mensagem daqueles que por ela estão tomados, pouco importa seu brilhantismo intelectual, mas ouvir o coração que bate ritmado com a mensagem entregue, afinal assim ouvimos muito mais que palavras, ouvimos a própria vida do mensageiro.
Somente a vida transmite vida, somente quem é livre pode libertar outros. Somente a mensagem que nos feriu e curou profundamente poderá ser curativa para a alma sedenta e aflita.

No muito falar não falta transgressão,assim nos diz o sábio, mas também nos diz outro sábio, se alguém sabe que deve fazer o bem e não faz, nisto está pecando... assim a tagarelice é um problema, mas reter a palavra que deve ser dita no tempo oportuno também o é.

A primeira frase de Paulo quando ilustra o que é o amor em ICo 13 poderia ser lida assim; “ainda que fosse o melhor dos palestrantes, com total domínio da arte de falar e me expressar em público, total domínio dos assuntos do céu e da terra, possuidor de eloquência inigualável, se não tiver amor, isto será apenas barulho, assim como o sino que só soa por que é oco, é muita aparência para nenhum conteúdo, sem proveito algum a não ser chamar a atenção para si mesmo.” A única mensagem digna de ser ouvida é o amor, e somente quem ama pode entregá-la com eficácia.

Ouvi certa vez que em um grande evento dois homens iriam ler o salmo 23, primeiro um jovem estudante, com toda sua inteligência e treinamento faz uma belíssima apresentação do salmo e recebe merecido aplauso, afinal fora uma grande apresentação, pouco depois um ancião encurvado pelo peso dos anos, faz a sua leitura do salmo, e como resultado a plateia fica emudecida e quebrantada, como se o Pastor estivesse vindo se encontrar com suas ovelhas. Perguntando ao jovem o que havia acontecido a sua resposta foi: eu conheço o salmo, ele conhece o pastor!!! 

Fato é que enquanto vivemos estamos deixando a nossa mensagem pela terra, boa ou má, viva ou enfadonha, certa ou errada, somos cartas vivas, mensagens ambulantes, será que a mensagem que estamos transmitindo, é de fato aquela que gostaríamos de estar transmitindo???  


FORÇA X CÃS

Força x cãs   Muitas vezes ouvi de meu pai a seguinte frase; ah... se eu tivesse hoje a sua idade, com a...