quinta-feira, 31 de outubro de 2013

EU TENTEI SEGUIR AS REGRAS...

video

Ouvi esta música hoje, e como me lembraram que é o dia da reforma protestante, achei oportuno compartilhar a música e a tradução. 

I tried keeping rules  (eu tentei cumprir as regras)

Eu tentei  cumprir as regras, e funcionar com minha cabeça desligada                   
Para agradar à Deus
Eu tentei  ir abrindo portões, e ir cavando aqueles poços antigos
bastante
Mas isto me deixou de fora, isto apenas me deixou de fora!
Então eu desisti de ser um “homem da lei”, e então pude ser um homem de Deus.
Eu parei todo meu esforço
Eu fui crucificado com Cristo, com Cristo
Nós somos o povo da nova aliança.
Um sacerdócio real
Uma nação santa
Possessão especial de Deus
Chamados para fora da escuridão
Para Sua gloriosa luz!
Eu tentei me lançar, para subir um nível ou dois
Para agradar a Deus
Eu tentei colocar as coisas abaixo,e explodir campos muito secos
bastante
Mas isto me deixou de fora, apenas me deixou de fora!
Então eu parei com o esforço
Agora que eu estou confiando
Eu parei todo  estresse
Agora eu estou indo descansar em Cristo, em Cristo
Os céus estão abertos
As fontes estão brotando
Por dois mil anos
Houve um transbordar
É maior muito maior
Que uma série de encontros
Está por toda a terra.

Godfrey Birtill

QUANDO OLHO PARA O SANGUE


Retornando à atividade, após 25 dias de viagem, repartimos uma música com a tradução abaixo, que expressa muito bem o que temos experimentado.

Quando eu olho para o sangue.
Quando eu olho para o sangue
Tudo o que vejo é amor, amor,amor
Quando eu paro diante da cruz
Eu posso ver o amor de Deus
Mas eu não posso ver competição
Não posso ver hierarquia
Não posso ver  orgulho ou preconceito
Ou o abuso de autoridade
Eu não posso ver cobiça por poder
Eu não posso ver manipulação
Eu não posso ver raiva ou ira
Ou ambição egoísta
Quando olho para o sangue
Tudo o que vejo é amor, amor, amor
Quando eu paro diante da cruz
Eu posso ver o amor de Deus
Mas eu não posso ver  falta de perdão
Eu não posso ver ódio ou inveja
Eu não posso ver brigas estúpidas
Ou amargura, ou ciúmes
Eu não posso ver a construção de um império
Eu não posso ver importar-se consigo mesmo
Eu não posso ver punhaladas nas costas
Ou vaidade ou arrogância
Quando olho para o sangue
Tudo o que vejo é amor, amor, amor
Quando eu paro diante da cruz
Eu posso ver o amor de Deus
 Eu vejo rendição, sacrifício, salvação, humildade
retidão, fidelidade, graça, perdão
amor, amor, amor.


segunda-feira, 7 de outubro de 2013

O sal transforma a realidade.

Relendo o texto de II Rs 2, onde Eliseu e seus discípulos chegam a jerico e os habitantes falam de suas qualidades como cidade, bem localizada, com tudo para ser uma cidade muito bem sucedida, mas havia no intimo deles uma dor, que os que estavam de passagem não viam. A terra era abortiva, após todo o esforço do plantio e a expectativa da colheita, os frutos se perdiam antes de amadurecer, eram abortados, isto se devia à água que era amarga...
Ao saber disto Eliseu pede um prato com sal, vai à fonte das águas e joga o sal, a partir de então as águas são curadas e a terra volta a produzir.
Eliseu ataca o problema em sua raiz, a fonte da água, sem rodeios e traz uma solução inusitada, joga sal na fonte. O sal é condição indispensável para que a terra produza frutos!!! 
Sabemos que este sal era um tipo de Cristo.
Em nossos dias vemos muitas pessoas em situação parecida com a da cidade, tem tudo para desenvolver, mas na hora da colheita, frustração total, apesar de todo o esforço o fruto falha...
Lembrando Pv onde diz que as fontes da vida procedem do coração, e ligando com a ação de Eliseu, a solução para o problema é simples, deitemos sal ao coração... Sim o sal (cristo) fará toda a diferença na fonte da vida e um novo tempo iniciará à partir daí. 
Isto é realidade tanto no individual, quanto no coletivo, a presença de Cristo, muda a realidade, transforma a essência das coisas, elimina a esterilidade, uma vez que estejamos pessoalmente transformados por esta presença bendita  , somos feitos igualmente sal e em vista dos problemas somos lançados sobre eles, para sua solução.
O sal quando em contato com a água se dissolve, sentimos seus efeitos mas não o vemos mais, assim se dá conosco, somos dissolvidos, para que a glória seja do Pai. 
A única maneira do sal produzir seu efeito é entrando em contato com o que será Salgado, se não houver o contato o sal não será percebido.
Nós somos o sal da terra, a presença do Cristo em nós, nos faz assim, deixemos o sal salgar, esta é a solução para as situações da vida, estejamos onde o sal seja necessário e deixemos que Ele faça o seu trabalho.

quarta-feira, 2 de outubro de 2013

Funcionamento do Medo (A Síndrome de Estocolmo)

Você sabe como o medo funciona? 
Qual o objetivo de nosso inimigo ao tentar nos acuar com o medo?
Vou usar um exemplo da psicologia moderna para deixar mais claro como essa ferramenta maligna tem sido utilizada por satanás para manter muitos cristãos, anteriormente sadios, num quadro de apatia ou mesmo de incredulidade.
Essa síndrome recebeu esse nome em referência ao famoso assalto de Normalmstorg do Kreditbanken, na cidade de Estocolmo, Suécia, que durou de 23 a 28 de agosto de 1973. Nesse acontecimento, as vítimas continuavam a defender os sequestradores mesmo depois dos seis dias de prisão física terem terminado e mostraram o mesmo comportamento nos processos judiciais que se seguiram.
As vítimas começam por identificar-se emocionalmente com os sequestradores, a princípio como um mecanismo de defesa, por medo de retaliação e/ou violência. Gestos gentis por parte dos raptores são frequentemente amplificados porque, do ponto de vista do refém é muito difícil, senão impossível, ter uma visão clara da realidade nessas circunstâncias e conseguir mensurar o Perigo real. As tentativas de libertação são, por esse motivo, vistas como uma ameaça, porque o refém tem medo de ser machucado. É importante notar que os sintomas são consequência de um stress físico e emocional extremo.
É importante observar que o processo da síndrome ocorre sem que a vítima tenha consciência disso. A mente fabrica uma estratégia ilusória para se proteger. Entretanto, a vítima não se torna totalmente alheia à sua própria situação, parte de sua mente conserva-se alerta ao perigo.
O medo é o dispositivo com o qual nosso inimigo faz com que nos apeguemos, justamente aos recursos que podem nos destruir e resistamos aos que efetivamente podem nos salvar. Nas tribulações diárias e grandes desafios que assolam os homens em nossos dias, vemos que muitas de suas respostas estão na oração, na posição de fé, no levantamento com autoridade contra enfermidades, tentações, tribulações terrenas que drenam nossa energia, enterram sonhos pessoais, impedindo que vivamos abundantemente.
Na tentativa de se livrar das ameaças de nosso adversário, muitos homens, aprofundam-se no trabalho, em pecados domésticos (como a pornografia ou vícios), no sarcasmo, na incredulidade, na irreverência, na frieza espiritual, constroem um mundo surreal para si, negando a realidade de que está vulnerável e precisa de uma estratégia divina e da ajuda de outros homens. Por fim, quando o medo encontra lugar para se alojar em nosso coração, ele faz com que abandonemos a verdadeira fonte de água viva e nos guia à cisternas secas, que não retém água, como diz o profetas Jeremias.
Amados, o Senhor é a fonte de vida que foi designada aos herdeiros da nova aliança. Nós somos esses herdeiros. E nEle habita a plenitude, e mais, Ele mesmo está vivo em nós, nos conduzindo pelo seu Espírito à uma vida abundante, repleta de fé e ESPERANÇA como diz em Jeremias 29:11.
Segundo um amigo: O medo é a fé no fracasso. É a certeza de que tudo vai dar errado no final. Se isso fosse verdade, nosso Deus não seria Deus e sua palavra seria a mais romântica das mentiras! 
Mas, sabemos que não é assim. Ele nos deu vida, quando estávamos mortos e dispensou sobre nós sua eterna e favorável graça. Além de nos resgatar, Deus nos entregou juntamente com Cristo, todas as coisas, inclusive a capacidade de passar por qualquer tribulação e resistirmos inabaláveis. Note, que a palavra não diz que ele nos dará isso, mas, JÁ nos entregou (no passado), JÁ está em cada um de nós. Foi colocado lá dentro de nosso novo coração quando o recebemos no batismo.
Queridos, nós temos o que é necessário para resistir tudo e permanecer firmes!
Em nós habita Aquele que é a vida abundante! A promessa viva na palavra de Deus, no livro de salmos no diz que: Feliz é o homem que teme ao Senhor e que anda nos seus caminhos, pois do trabalho de suas mão comerá, feliz será e tudo irá bem.
Não ceda ao medo! 
Mantenha-se firme! 
Mantenha-se próximo!

Aquele que é a VIDA ABUNDANTE está e vive entre nós. 
Você pode contar com muitos outros soldados. VOCÊ NÃO ESTÁ SOZINHO!


Uma ótima noite a todos.

Erick Couto
Seu irmão em batalhas

ABNEGAÇÃO X AMOR

Lí estes dias a seguinte afirmação, se perguntarmos à maioria dos santos de hoje qual a principal virtude de um homem de Deus, eles dirão , abnegação (Renúncia, sacrifício), se esta mesma pergunta fosse feita no primeiro século a resposta seria, amor (Paixão, gosto vivo por alguma coisa). Interessante como a primeira afirmação leva a um estado de negatividade e um certo heroísmo, eu tenho tanto para ser e fazer por mim mesmo, mas me nego, (quase um mártir), enquanto o amor (ágape) leva a um estado de vida pulsante, vivo, de ação e não de negação, ao amar de fato, tudo que tenho e que sou é colocado à serviço e pode alcançar sua plenitude. O ágape é a própria essência de Deus.

Parece-me que a ênfase dada à abnegação tem muito mais a ver com a busca das religiões orientais pelo nada absoluto, pelo transe, do que com as afirmações do Cristo, “amai-vos uns aos outro” , “o que quereis que os homens vos façam assim fazei-o vós a eles”, amarás o Senhor teu Deus de todo o teu coração...”, “ nisto conhecereis que sois meus discípulos, se vos amardes”, “permanecei no meu amor”...

Sim, sim, O Cristo falou de negar a sí mesmo, tomar a cruz e seguir, sim é verdade, mas observe que no livro de Mateus este requerimento vem somente depois de Pedro afirmar: “tu és o Cristo, o filho do Deus vivo”... parece-me que a renúncia só faz sentido depois de compreendermos quem é aquele que está dizendo para tomar a própria cruz.

Na verdade a resposta ao chamado só será a esperada, quando nossos olhos forem desvendados e compreendermos quem é aquele que nos fala, como Jesus disse à mulher no poço de Samaria: “ se soubesses quem é o que te fala, tu é que me pedirias água”... é assim que somos, só se troca um amor antigo por um novo amor. 

Senhor abre meus olhos!!!