terça-feira, 14 de outubro de 2014

O que mantém o boi no pasto é o capim e não a cerca.


O que mantém o boi no pasto é o capim e não a cerca.

Obviamente, não me atreverei a fazer um tratado sobre bovinos, tampouco insinuar que pessoas devam ser tratadas como bois, mas acho a ilustração muito apropriada aos relacionamentos humanos, sobretudo na igreja.

Quanto tempo perdemos concertando cercas (fazendo limites, regras, leis visando proteger o povo), que acabam se mostrando inúteis, quando deveríamos estar cuidando do capim (alimento) e do rebanho (pessoas).

O alimento adequado não é somente a pregação da Palavra, a qual é fundamental!!! Mas também a existência de relacionamentos corretos e significativos, baseados na realidade do Espírito de Deus em nós. O reino de Deus é relacionamentos, já dizia um irmão há muitos anos. Uma visão clara, também é fundamental.

Relacionamentos mal conduzidos (sem levar em conta a intermediação de Cristo, baseados na carne e suas expectativas incabíveis) causam divisões entre as pessoas, muito mais do que divergências de opinião e de doutrina.

A medida da maturidade é o amor ágape, I Co 13;11 Paulo afirma, “quando eu era menino...” qual a diferença entre o menino e o adulto segundo este texto? O amor. Todas as coisas que Paulo cita no início do texto, são coisas próprias de meninos, ciúme, buscar o próprio interesse, se conduzir inconvenientemente etc...

Quando Jesus quis deixar um sinal claro de que as pessoas o seguiam, ele disse: “nisto conhecerão todos, que sois meus discípulos, se vos amardes uns aos outros.” Não citou qualquer dos indicadores externos que muitas vezes defendemos ardorosamente, foi direto à raiz de todas as coisas, se tiverdes amor... cumprireis a lei e os profetas. Para que o amor seja perceptível, os relacionamentos são insubstituíveis... 

Quando da separação das ovelhas dos bodes em mateus 25;40, novamente o sinal é o amor. “cada vez que o fizestes a um destes meus pequeninos, a mim o fizestes”.

Acredito que um ambiente de ternos afetos e misericórdias e cuidado meticuloso de uns para com os outros, aliados a uma sã doutrina, são os ingredientes fundamentais para que as pessoas desejem permanecer em sua vida comunitária, sem nenhuma necessidade de regras e programas mirabolantes que as mantenham presas dentro de um cercado, ansiando pelo dia em que conseguirão romper a cerca, em busca de melhor alimento.

João
15.12   O meu mandamento é este: que vos ameis uns aos outros, assim como eu vos amei.
15.13   Ninguém tem maior amor do que este: de dar alguém a própria vida em favor dos seus amigos
15.14   Vós sois meus amigos, se fazeis o que eu vos mando.
15.15   Já não vos chamo servos, porque o servo não sabe o que faz o seu senhor; mas tenho-vos chamado amigos, porque tudo quanto ouvi de meu Pai vos tenho dado a conhecer.

Gálatas
6.1   Irmãos, se alguém for surpreendido nalguma falta, vós, que sois espirituais, corrigi-o com espírito de brandura; e guarda-te para que não sejas também tentado.
6.2   Levai as cargas uns dos outros e, assim, cumprireis a lei de Cristo
6.3   Porque, se alguém julga ser alguma coisa, não sendo nada, a si mesmo se engana
6.4   Mas prove cada um o seu labor e, então, terá motivo de gloriar-se unicamente em si e não em outro.
6.5   Porque cada um levará o seu próprio fardo.
Provérbios
27.23   Procura conhecer o estado das tuas ovelhas e cuida dos teus rebanhos
Colossenses
3.14   acima de tudo isto, porém, esteja o amor, que é o vínculo da perfeição.

Nenhum comentário:

Postar um comentário